Seja o primeiro a compartilhar

3 coisas que aprendemos sobre alienígenas em 2020

O que falta para deixar o ano de 2020 ainda mais bizarro? A resposta é simples: aliens. Um dos grandes mistérios da Terra é o infindável questionamento se somos a única forma de vida existente no universo. Apesar dessa pergunta estar longe de um fim, os últimos meses trouxeram novas perspectivas para o futuro.

Então, vamos relembrar algumas coisas que nós descobrimos sobre os alienígenas durante esse ano? Confere só!

1. Vida em Vênus

(Fonte: Wikimedia Commons)
(Fonte: Wikimedia Commons/Reprodução)

Em setembro, uma grande teoria chocou a comunidade científica. Após uma série de estudos, cientistas descobriram traços de moléculas de fosfina na atmosfera de Vênus, o que poderia ser um indicativo de que existem formas de vida no segundo planeta do sistema solar.

Na Terra, a fosfina é associada a algumas bactérias que não utilizam oxigênio para respirar, assim como também algumas atividades humanas. Essa é uma molécula comum em planetas gasosos, mas não há motivos aparentes para ela ser produzida em Vênus.

Porém, os pesquisadores ainda acham altamente improvável que os dados signifiquem alguma forma de vida.

2. Civilizações alienígenas

(Fonte: Pixabay)
(Fonte: Pixabay/Reprodução)

De acordo com uma pesquisa publica no The Astrophysical Journal, existe 36 civilizações alienígenas dividindo a Via Láctea com nós, seres humanos. A estimativa foi feita através da Equação de Drake, um argumento probabilístico inventado em 1961 para determinar a possibilidade de civilizações que poderiam entrar em contato com a nossa existência baseado na formação das estrelas.

Porém, mesmo que os números se comprovassem, a civilização mais próxima ainda estaria a 17 mil anos-luz de distância do nosso pequeno planeta.

3. Mundos promissores

(Fonte: Wikimedia Commons)
(Fonte: Wikimedia Commons/Reprodução)

Em 2020, a ciência revelou quatro lugares dentro do nosso sistema solar que são promissores para o desenvolvimento de vida: Marte, Europa, Encélado e Titã. No começo do ano, um enorme lago foi descoberto de baixo de uma camada de gelo no hemisfério sul do planeta vermelho, criando a possibilidade para o desenvolvimento de micróbios. 

Europa, lua de Júpiter, e Encélado e Titã, luas de Saturno, são tão promissoras quanto. A primeira, assim como Marte, possui a promessa de água e é coberta por uma camada de gelo que poderia esconder um oceano de mais de 100 km de profundidade. O mesmo vale para Encélado, que também possui uma grossa camada de gelo na superfície.

Por fim, Titã é a única lua em nosso sistema solar com uma atmosfera considerável e rica em nitrogênio, o qual serve como uma importante peça na construção de proteínas em todas as formas de vida conhecidas.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.