Macaco mais raro do mundo sofre ameaça de extinção

Reconhecidos como uma espécie autônoma somente no final de 2017, os orangotangos-de-tapanuli (Pongo tapanuliensis) sofreram desde então uma assustadora redução de 83% em sua população, e hoje dominam apenas 2,7% do seu habitat original ocupado há 130 anos, o que os coloca à beira da extinção.

Fonte: Wikimedia CommonsFonte: Wikimedia Commons

Um estudo publicado no início do ano na revista científica online Plos One avalia que existam hoje menos de 800 orangotangos-de-tapanuli confinados em uma pequena região montanhosa de Batang Toru no norte da ilha de Sumatra, na Indonésia.

Principal autor do estudo, o cientista conservacionista neerlandês Erik Meijaard faz uma alerta que, se mais de 1% da população adulta for morta, capturada ou realocada a cada ano, os P. tapanuliensis se tornarão a primeira espécie de grandes macacos a ser extinta nos tempos modernos, segundo o jornal digital The Hill.

Metodologia da pesquisa sobre os orangotangos Tapanuli

Fonter: Andrew Walmsley/ReproduçãoFonter: Andrew Walmsley/Reprodução

O estudo foi realizado por meio de uma abordagem de ecologia histórica que envolveu a análise de jornais, revistas, livros e registros de museus, no período de 1800 a 2009. A pesquisa mostrou que historicamente os orangotangos-de-tapanuli habitavam uma área muito maior, até serem encurralados por caçadores nas montanhas Batang, onde habitam atualmente.  

Em condições ideais, esses macacos deveriam se mover livremente entre diversos ambientes, inclusive áreas de planície, para aumentar as suas chances de sobrevivência, tendo em vista que as terras altas não são adequadas para a espécie.

Fonte: Mongabay/ReproduçãoFonte: Mongabay/Reprodução

Ainda que permaneçam no habitat atual, outra ameaça pode estar à espreita: a construção de uma nova usina hidrelétrica projetada para o rio Batang Tory, ao sul da regência de Tapanuli. A planta original da instalação prevê a ocupação de 122 hectares de mata, o que impediria que as subpopulações de orangotangos se misturassem, o que levaria a espécie à endogamia, limitando a diversidade genética do animal.

Atualmente, a construção da usina foi interrompida devido à pandemia da covid-19, e a empresa responsável pela execução do projeto, a PT North Sumatera Hydro Energy, perdeu o financiamento que viria do Banco da China. Agora, os autores da atual pesquisa pedem que o governo local aproveite essa pausa para conduzir uma pesquisa independente para avaliar a ameaça aos orangotangos-de-tapanuli.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.