61
Compartilhamentos

Ministro da Rússia quer clonar guerreiros mortos há 3 mil anos

Durante uma reunião online da Sociedade Geográfica Russa, em abril desse ano, o Ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu, anunciou seus planos para clonar os restos mortais de guerreiros citas mortos há mais de 3 mil anos. Eles foram descobertos na República de Tuva, em meados da década de 1990, por um grupo de arqueólogos da Sibéria.

Um dos mais fortes aliados do presidente Vladimir Putin, Shoigu, sendo nativo de Tuva, disse que seu objetivo de clonagem é visando "a abundância de DNA que foi preservado no permafrost siberiano". Ele teria sido auxiliado por um mestre xamã durante as escavações para que não "irritasse" os espíritos desse povo iraniano da Antiguidade Clássica, e agora planeja construir um exército de mortos.

“É claro que gostaríamos muito de encontrar a matéria orgânica, e acredito que você entenda o que viria depois disso”, disse ele, segundo o Daily Mail. “Seria impossível fazer algo com isso, se não Dolly, a Ovelha. Em geral, será muito interessante”.

Peça de propaganda ou não?

(Fonte: Yahoo News/Reprodução)(Fonte: Yahoo News/Reprodução)

Em 2018, Shoigu retomou as escavações iniciadas em 1998, dessa vez com especialistas russos e suíços, encontrando os restos mortais enterrados dos guerreiros com seus cavalos.

“A descoberta mais interessante foram os restos mortais de sacrifícios de cavalos”, disse o arqueólogo Timur Sadykov. “Isso mais uma vez confirma a herança cultural de Kurgan”.

No entanto, a bagagem histórica sempre foi tida como a menos importante de todo o processo, ainda mais com a descoberta de ossos fossilizados que alimentaram a esperança de clonagem da Sociedade Geográfica Russa.

(Fonte: Diário Liberdade/Reprodução)(Fonte: Diário Liberdade/Reprodução)

“Muitas coisas já foram confirmadas, mas ainda há muito o que ser feito”, disse Shoigu, segundo o Sputnik News.

Apesar de a comparação com a ovelha Dolly, o primeiro mamífero clonado que ganhou as manchetes do mundo em julho de 1996, ainda é incerto o quão empenhado o governo russo está para clonar de volta à vida o exército cita.

(Fonte: Kabarin/Reprodução)(Fonte: Kabarin/Reprodução)

Por outro lado, assim como cientistas políticos e um relatório da PBS de 2017 avaliaram, o Kremlin e a própria mídia trabalham em conluio para produzir desinformação de modo a confundir as demais autoridades perante o mundo.

Portanto, existe a possibilidade de que o anúncio tenha sido feito com duplo propósito político, visto que recentemente a Rússia implantou quase 100 mil soldados na fronteira com a Ucrânia – o que daria uma ótima peça de propaganda política.


Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.