Química fácil: como estudar a tabela periódica em casa?

Para muitos estudantes, conhecer a química no início do Ensino Médio foi um verdadeiro terror, e não apenas pelas aulas de reversibilidades das reações, nomenclatura da IUPAC ou outros assuntos cabulosos, mas em especial pelo estudo da tabela periódica, um mapa com uma série de elementos que, na época, eram completamente desconhecidos por muitos. Felizmente, com as tecnologias atuais, o Google lançou uma ferramenta que se propõe a ajudar alunos no conhecimento dos elementos, através de uma plataforma interativa cheia de curiosidades e informações.

Intitulada Tabela Periódica 3D, a ferramenta, incluída no pacote Arts Experiments With Google, traz um mapa colorido e completo com todos os detalhes atuais da tabela original. Assim, os usuários podem identificar as siglas dos elementos, seus respectivos números atômicos, classificação periódica e o nome original da substância.

Porém, a tabela periódica do Google vai muito além dos conceitos do mapa planificado e acrescenta uma série de informações que servem tanto como curiosidades quanto como aprendizado para estudantes. Ao selecionar um elemento específico da tabela, o usuário terá acesso a uma aba lateral em que será revelado o modelo de Bohr do átomo em uma representação tridimensional, animada e móvel, indicando as diversas camadas eletrônicas e a quantidade de prótons existente nelas.

(Fonte: Arts Experiments / Reprodução)(Fonte: Arts Experiments/Reprodução)

Logo abaixo, são detalhados ponto de ebulição, ponto de fusão, ano e o responsável pela descoberta, densidade e a massa atômica, além de um link de redirecionamento para a Wikipédia. Junto a essas informações, destaca-se uma breve descrição sobre o elemento, relatando um fato curioso e pouco conhecido, como é o caso do paládio, que “foi prescrito como tratamento de tuberculose” e, devido a “efeitos colaterais”, foi “substituído por drogas mais eficazes”.

Como acessar a Tabela Periódica 3D?

Para acessar a tabela periódica do Google, basta clicar neste link, em que será possível consultar todas as informações desejadas ao clicar em qualquer elemento disponível na tabela. Em relação ao idioma, ainda não há localização nativa para o português, mas o site pode ser facilmente traduzido pelas ferramentas complementares dos navegadores.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.