6 espécies de animais que não parecem ser de verdade

A natureza é lar para uma série de criaturas realmente fascinantes. Entretanto, algumas delas são tão inacreditáveis que parecem ter saído direto de um filme de ficção científica criado nos estúdios de Hollywood. E engana-se quem pensa que os animais bizarros só vivem na Austrália.

Pensando nisso, nós separamos uma lista com seis espécies de animais completamente malucas e que simplesmente não parecem existir de verdade. Olhe só e nos conte qual foi a que mais te surpreendeu!

1. Bico-de-tamanco

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons/Reprodução)

Imagine só uma ave gigantesca com um bico em formato daqueles sapatos holandeses clássicos. Esse é o caso do bico-de-tamanco, uma ave que parece uma mistura de cegonha, pelicano e garça após sofrerem mutações genéticas em laboratório — isso tudo sem ser parente de nenhum deles.

Esse animal vive nas regiões pantanosas do continente africano e consegue permanecer parado por horas consecutivas. Se tudo isso não bastasse, o seu “grito” é considerado um dos sons mais esquisitos já emitidos por um pássaro na Terra. 

2. Ornitorrinco

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons/Reprodução)

O que dizer dos ornitorrincos? Esse mamífero em forma de castor com bico de pato e que bota ovos como se fosse uma galinha é uma das invenções mais inacreditáveis da natureza, apesar de ser muito real. Essa é inclusive apenas uma das duas espécies de mamíferos no mundo que chocam ovos — o segundo exemplo é a equidna.

O processo de amamentação é completamente bizarro: os bebês lambem o leite que é expelido pelo corpo da mãe como se fosse suor.

3. Sapo peludo

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons/Reprodução)

Nas águas da Nigéria, Camarões, Gabão e outros países africanos vive uma criatura desconexa da realidade: o sapo peludo. É quase como se esses anfíbios tivessem sido mordidos por um lobisomem e desenvolvido pelos na parte de trás do corpo. Os sapos machos desenvolvem fios peludos para acomodar mais oxigênio e compensar por seus pequenos pulmões.

E essa está longe de ser a única surpresa. Esses sapos também têm a habilidade de transformar seus ossos em garras na questão de um instante, tornando-se um real assassino. 

4. Pangolim

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons/Reprodução)

Os pangolins são uma verdadeira máquina de guerra em formato de animal. Além de terem uma grossa camada de escamas que lhes protege de potenciais predadores, esses “tatus” gigantes conseguem se enrolar no formato de uma bola para construir uma camada extra de proteção.

Nessas condições, até mesmo leões e tigres ficam sem saber o que fazer por não conseguirem machucar esses mamíferos. Por fim, os pangolins usam suas longas línguas de tamanduá para conseguirem se infiltrar em buracos e caçar insetos.

5. Axolote

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons/Reprodução)

Por mais parecido com um Pokémon que seja, eu te garanto que o axolote é uma criatura de verdade. Essa salamandra anfíbia vive em ambientes aquáticos no México, se alimenta de peixes, insetos e minhocas. Sua característica mais impressionante é conseguir regenerar seus órgãos, incluindo o coração e até mesmo partes do cérebro.

Apesar de estarem ameaçados de extinção na natureza, os axolotes se tornaram animais de estimação exóticos para algumas pessoas. Um dos principais motivos disso é por serem de fácil manutenção.

6. Pitohui

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons/Reprodução)

De longe, você pode até pensar que o pitohui é uma ave extremamente comum e inofensiva. O problema, porém, é que esse pássaro nativo das florestas tropicais de Nova Guiné é um dos poucos conhecidos no mundo por ser venenoso. Você não está lendo errado!

Sua pele e penas possuem uma toxina chamada batracotoxina, que pode provocar sensação de dormência e paralisação da boca em seres humanos. Essa é uma das principais armas dessa espécie para se manter livre de predadores e parasitas. 

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.