Seja o primeiro a compartilhar

Universos paralelos existem? Saiba o que a física diz sobre isso

Já parou para pensar se existe outra versão de você habitando outra realidade em um universo paralelo? Esse é um conceito que aparece com certa frequência em filmes de ficção científica e algo que a humanidade sempre sonha ao explorar mais a fundo as infinidades do desconhecido sideral. 

Inclusive, a ideia de outras dimensões e multiversos é algo tão difundido dentro da cultura pop que até mesmo pessoas sem o menor conhecimento sobre física sabem um pouco sobre o assunto. Mas se esse não for o seu caso, nós vamos nos aprofundar mais a respeito desse tema.

Universo observável

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Quando a ciência cita o nosso Universo, ela fala a respeito de tudo que conseguimos observar até agora. Graças ao Big Bang e aos estudos de radiação cósmica, hoje temos uma ideia de que o universo em que vivemos tem aproximadamente 13,8 bilhões de anos desde o início de sua expansão.

Entretanto, também aprendemos que a luz viaja pelo vácuo em uma velocidade finita: 300 mil km/s. Essa descoberta foi, inclusive, a que nos permitiu elaborar o conceito de ano-luz e descobrir qual é a distância equivalente que a luz percorre em um ano — 9,5 trilhões de km. Ainda existem partes do universo que não conseguimos enxergar pelo fato da luz nunca ter chegado lá.

Sendo assim, vivemos em uma enorme bolha com campo de visão de raio aproximado em 13,8 bilhões de anos-luz na medida atual de tempo. E o que existe do outro lado da realidade? Isso é algo que nós ainda não temos pleno conhecimento.

Múltiplos Big Bangs

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Agora que sabemos que existe uma diferença entre o universo observável (o que temos conhecimento) e o universo real (tudo onde a luz não toca), pense no seguinte cenário: se várias explosões similares ao Big Bang aconteceram em outros pontos desconhecidos da nossa existência, é possível que outros universos semelhantes ao nosso existam ao mesmo tempo, sem o menor conhecimento um do outro.

Alguns deles podem ser tão parecidos com o nosso que poderiam ser considerados iguais. Dessa forma, existe a probabilidade mínima de uma versão sua estar nesse exato momento vivendo uma vida independente, sem a menor ideia de que você existe nessa realidade.

O problema, entretanto, é que nós ainda não dispomos de métodos para testar essas teorias e, tampouco temos a tecnologia necessária para desbravar as partes desconhecidas do universo. Por esse motivo, só podemos continuar sonhando com essas dimensões paralelas. 

Extensão dos estudos

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

A primeira vez que a teoria dos muitos mundos foi citada no campo científico aconteceu na década de 1950, quando o físico estadunidense Hugh Everett usou a mecânica quântica para tentar explicar alguns processos não determinísticos, ou que não podem ser explicados através das relações de causalidade.

Desde então, diversos outros pesquisadores formularam suas próprias versões sobre dimensões paralelas e multiversos, sempre com ideias um pouco diferentes, mas seguindo o mesmo conceito-chave. 

O físico teórico Sean Carroll é um dos principais defensores de que existem realidades semelhantes à nossa. Em seu livro Something Deeply Hidden (2019), Carroll aborda o surgimento do espaço-tempo e dá a sua visão sobre a possível origem dos chamados mundos quânticos. Como um defensor convicto, o pesquisador garante que as realidades paralelas são existentes e muito verdadeiras — assim como um elétron em estado quântico pode estar em todas as posições simultaneamente.

E você? Acredita que um dia descobriremos a existência de um universo muito parecido com o que vivemos? Conte para nós a sua opinião!

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.