Seja o primeiro a compartilhar

Por que o cocô da vaca produz metano?

As fezes e a flatulência dos animais são grandes contribuidores para o aquecimento global, principalmente quando consideramos as fazendas de gado. Entretanto, parece que esse impacto foi subestimado pelos seres humanos por décadas e décadas.

Novas pesquisas apontam que previsões antigas de emissões de metano do gado estavam erradas em até 10%, principalmente por não considerar a maneira como os produtores rurais usam e mantém seus animais. Então, vamos entender qual é o real impacto das vacas na produção de gases de efeito estufa (GEEs) e como podemos intervir nesse processo. Veja só!

Produção de metano

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

O metano é um subproduto natural da digestão de animais, feito por micróbios localizados na região do intestino que se decompõem e fermentam os alimentos que comemos. Com isso, esse gás produzido na barriga acaba sendo liberado pela da flatulência das vacas — ou simplesmente um tradicional "pum".

Mas não é isso que faz esse gás cheirar tão mal assim. Na verdade, as moléculas contendo enxofre que fazem parte da composição do metano é que criam o odor insuportável. Por mais que você possa achar o conceito de uma vaca soltando um pum engraçado, os efeitos que isso tem para o meio ambiente não são nem um pouco divertidos.

Infelizmente, o metano é um grande contribuinte para o efeito estufa, ajudando a reter o calor na atmosfera da Terra e contribuindo para as mudanças climáticas. Normalmente colocamos a culpa dessas mudanças climáticas no dióxido de carbono (CO²), mas o metano é cerca de 85 vezes mais poderoso quando se trata de reter o calor — apesar de se decompor mais rápido.

Subestimando cálculos

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Segundo os novos dados produzidos pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (EUA), do Joint Global Change Research Institute e do Departamento de Energia dos EUA, o metano produzido por vacas, suínos e outros animais mostra que podemos ter subestimado seus insumos. E o que isso quer dizer?

Isso apenas mostra que os dados usados como base para o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas de 2006 estavam 11% errados. “Em muitas regiões do mundo, o número de animais está mudando e a criação resultou em animais maiores com maior ingestão de alimentos. Isso, com mudanças no manejo do gado, pode levar a maiores emissões de metano”, disse fisiologista de plantas do USDA Julie Wolf à imprensa na época.

Ao analisar que o gado também estava sendo usado para puxar equipamentos agrícolas, ou que o esterco agora é mais provável de ser armazenado em enormes poços abertos do que espalhado nos campos, os estudiosos calcularam que o gado foi responsável por 120 milhões de gramas de metano apenas em 2011.

Os pesquisadores esperam que suas estimativas revisadas ajudem cientistas e legisladores a tirar conclusões mais precisas sobre o papel do gado no aquecimento global, obrigando os produtores rurais a tomarem mais cuidado com a alimentação de seus animais na tentativa de reduzir a produção de metano.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.