Seja o primeiro a compartilhar

5 experiências feitas no espaço que parecem sem sentido

A conquista do espaço pela humanidade foi uma passo fundamental para a nossa evolução. Isso porque permitiu à ciência desenvolver pesquisas que seriam difíceis de serem replicadas em solo terrestre. A ambição humana de sair da Terra e explorar o Universo também foi um fator que catalisou inúmeras descobertas e evolução tecnológicas.

Entretanto, existem algumas pesquisas que, quando sabemos que estiveram envolvidas com o espaço, nos causam estranhamento. Acompanhe-nos nessa jornada para conhecer cinco experiências conduzidas fora da órbita terrestre que podem (ou não) fazer sentido algum.

Leia também: O que aconteceria se um bebê nascesse no espaço?

1. Os super camundongos

(Fonte: Pexels)(Fonte: Pexels)

Não ria, mas cientistas desenvolveram um experimento para criar super camundongos... no espaço. Seguinte: alguns ratinhos foram modificados geneticamente, de modo que sua massa muscular dobrasse, a fim de compreender os efeitos que a microgravidade tem na perda de massa muscular e massa óssea.

Assim, os camundongos modificados ficaram 33 dias no espaço e, nesse período, não tiveram nenhuma perda, enquanto o grupo "normal" perdeu cerca de 18% de musculatura e massa óssea. O experimento visa diminuir o impacto da microgravidade nos corpos dos astronautas a longo prazo.

2. Plantações espaciais

(Fonte: Pexels)(Fonte: Pexels)

A NASA tem um projeto para o plantio de verduras no espaço, que iniciou com uma simples muda de alface romana, escolhida pela rapidez com que a espécie se desenvolve. Após o plantio em situação controlada, as plantas ficam prontas para consumo em até 28 dias.

A agência espacial norte-americana quer criar um sistema de cultivo regenerativo, ou seja, que permita o plantio de vegetais de maneira contínua. Além de variedades de alface, repolho, couve e flores, que já estão sendo cultivadas, a ideia é que frutas e outras hortaliças mais complexas também sejam plantadas no espaço.

3. Nova fragrância de perfume

(Fonte: Pexels)(Fonte: Pexels)

Há pouco mais de 20 anos, a NASA assinou um contrato de parceria com a International Flavors and Fragrances (IFF), uma empresa dos Estados Unidos que produz sabores, fragrâncias e ativos para cosméticos. A proposta era estudar o impacto da gravidade zero no cheiro de uma rosa.

O IFF pretendia desenvolver um novo perfume tendo como ponto de partida a experiência espacial. As amostras tiveram redução na produção dos óleos essenciais, alterando o cheiro da rosa. Como resultado, a IFF criou o perfume "Zen".

4. Estudo com gêmeos

Mark e Scott Kelly, respectivamente. (Fonte: Nasa/Robert Markowitz/Wikimedia Commons)Mark e Scott Kelly, respectivamente. (Fonte: Nasa/Robert Markowitz/Wikimedia Commons)

Experimento conduzido pela Nasa com os gêmeos Mark Kelly e Scott, o Twin Study (como é chamado) queria entender como a microgravidade afeta o corpo humano. Para isso, enquanto Scott estava no espaço, Mark ficou na Terra, sendo que ambos tiveram uma rotina de testes iguais. 

Os resultados mostraram que a microgravidade impacta, e muito, no nosso corpo: Scott teve perda de massa corporal, alteração no formato do olho, ficou com o sistema imunológico hiperativo e sofreu alterações em seus cromossomos.

5. Experimento de fogo

(Fonte: Pexels)(Fonte: Pexels)

Com a criação da Estação Espacial Internacional, a NASA precisou pensar em todos os aspectos possíveis para garantir a segurança da estação, dos astronautas e cientistas que lá estariam. Um dos experimentos, chamado de SoFIE, consistia em incendiar a EEI de modo seguro.

Mas calma, tudo foi feito em um ambiente controlado para que os cientistas aprendam como o fogo se espalharia e como agiria nos diferentes materiais com os quais se trabalha em baixa gravidade. O sucesso de um experimento como esse é fundamental ao avanço para uma eventual colonização do espaço.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.