Seja o primeiro a compartilhar

O que acontece quando deixamos nossos cães sozinhos?

Quem tem cachorro em casa já deve estar mais do que familiarizado com aquele aperto no peito da hora de sair de casa. A gente olha para nossos companheirinhos de quatro patas, percebe aquele olhar tristonho muitas vezes acompanhado de um chorinho de apertar o coração e a vontade é cancelar os compromissos e ficar no conforto do lar.

E olha que essa é apenas a parte que a gente vê: quando finalmente saímos de casa, os bichinhos continuam lá sentindo todo tipo de coisa, do medo do abandono à ansiedade, e em alguns casos até mesmo passando por quadros de depressão. Mas e aí, o que dizem os especialistas sobre o assunto?

Como se comportam nossos cães quando saímos de casa?

Ter um bichinho em casa é uma das experiências mais legais que alguém pode ter, principalmente quando o animalzinho é daqueles mais carinhosos, como cães e gatos. Deixando os felinos um pouquinho de lado — afinal, o texto é sobre os caninos —, um dos bichos de estimação mais populares é o cachorro. Considerado o "melhor amigo do homem", o cão está sempre ali à nossa disposição, transbordando carinho e lealdade. Mas e nós, estamos sempre à disposição destes nossos amigos peludinhos?

Cães temem abandono e podem apresentar sinais de ansiedade e depressão quando seus tutores saem de casa (Fonte: Getty Images/Reprodução)Cães temem abandono e podem apresentar sinais de ansiedade e depressão quando seus tutores saem de casa (Fonte: Getty Images/Reprodução)

Por mais que saibamos que sim (ou pelo menos é o que se espera de um tutor ou tutora responsável), infelizmente eles não têm essa noção e muitas vezes acham que uma simples saidinha para ir ao mercado é sinônimo de potencial abandono. Pelo menos é isto o que diz o abrigo Battersea Dogs & Cats Home, no Reino Unido.

Em uma publicação no site IFLScience, os especialistas em comportamento animal do abrigo revelam que nossos companheiros de quatro patas podem passar por maus momentos quando saímos de casa. Segundo eles, quando percebem que estamos prestes a deixar o lar, o nível de estresse sentido pelos cãezinhos aumenta consideravelmente. "Quando o nível de estresse aumenta, a frequência cardíaca, as funções respiratória e os níveis de hormônios [...] como o cortisol geralmente sobem", deixando o animal bastante alterado.

Sempre que percebem que estamos nos preparando para sair, seja apenas para tirar o lixo ou para passar o dia fora, o animal já começa a demonstrar sinais de ansiedade e estresse. Segundo os especialistas do abrigo, a pior parte acontece na primeira meia-hora após sairmos de casa. "Os 30 minutos [imediatamente] depois de serem deixados sozinhos são geralmente o momento mais estressante para a maioria dos cães", afirma o abrigo ao site. A situação pode ser ainda pior para alguns animaizinhos, que podem apresentar níveis de stress bem altos e que podem durar bastante tempo, em alguns casos permanecendo elevados durante todo o tempo em que o tutor está fora de casa.

A ansiedade pode levar cachorros a ter comportamento destrutivo (Fonte: Getty Images/Reprodução)A ansiedade pode levar cachorros a ter comportamento destrutivo (Fonte: Getty Images/Reprodução)

Como não podem falar, os cachorros buscam formas de externalizar os sentimentos e demonstrar o medo do abandono, já que são criaturas bastante sociáveis. É por isso que muitas vezes os vemos mostrar comportamento mais agitado, que pode ser acompanhado de latidos, choros e até mesmo da destruição de objetos. Eles os fazem não apenas para conseguir nossa atenção, mas também para aliviar o estresse.

É possível sair de casa sem deixar o cachorro ansioso?

Sim! Não apenas é possível como é aconselhável treinar nossos amiguinhos, que devem se acostumar com a ideia de que vamos sim sair com frequência e que isto não é sinônimo de que nunca mais verão a nossa cara. A melhor forma de fazê-lo é aos poucos: devemos sair de casa e retornar rapidamente, aumentando o intervalo entre a saíra e o retorno cada vez maior. A ideia é desensibilizar o cão, que passa então a deixar de associar nossas saídas com potenciais abandonos. Essa estratégia costuma funcionar melhor com animais mais jovens, mas cães mais velhos também podem ser treinados para se acostumar com nossas saidinhas.

Outra forma de tranquilizar o bichinho e diminuir o medo do abandono é dar a ele mais companhia na forma de outro cãozinho. Um cachorro mais tranquilo pode passar esta característica para outro mais ansioso, reduzindo o impacto do estresse e o medo de ser abandonado. O contrário também pode acontecer, com o cão tranquilo passando a ficar mais agitado, mas é um risco menor e que vale a pena correr. Afinal, melhor do que ter um cachorro é ter dois (ou mais) cãezinhos!

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.