Seja o primeiro a compartilhar

Primeiro avistamento de um filhote de tubarão-branco da história é registrado na Califórnia

Em um ensolarado dia de verão em 2023, o cineasta Carlos Gauna e o biólogo marinho Phillip Sternes se aventuraram nas águas da costa de Santa Bárbara, Califórnia, em busca de grandes tubarões-brancos. O que aconteceu em seguida foi algo totalmente inesperado e histórico: eles avistaram um tubarão-branco que acreditam se tratar de um filhote, algo nunca visto até então. 

Em meio às filmagens com um drone, os pesquisadores se depararam com um tubarão-branco com características únicas, acendendo um alerta de que havia uma boa chance deles estarem flagrando um tubarão recém-nascido, com aproximadamente 1,5 metro de comprimento — um tubarão-branco adulto pode chegar a mais de 6 metros.

Raridade em alto-mar

Possível filhote de tubarão-branco registrado pela primeira vez. (Fonte: Carlos Gauna/Divulgação)Possível filhote de tubarão-branco registrado pela primeira vez. (Fonte: Carlos Gauna/Divulgação)

À medida que o drone se aproximava, a dupla começou a captar imagens inéditas de uma película branca leitosa que se desprendia da cauda do jovem tubarão enquanto ele nadava. Esse fenômeno nunca havia sido documentado, e levou a especulações sobre se esse material seria um tipo de líquido amniótico ou até mesmo uma espécie de leite uterino utilizado para nutrir os recém-nascidos ainda dentro das mães. 

Outra hipótese seria de que esse vestígio "leitoso" deixado pelo animal se trata de alguma anormalidade na pele nunca registrada antes.

A descoberta, agora registrada em um estudo publicado na revista Environmental Biology of Fishes, fornece uma peça importante para o quebra-cabeça do nascimento dos tubarões-brancos, algo que até hoje é desconhecido pela comunidade científica. Os cientistas sequer conseguem identificar atualmente os locais utilizados como nascedouros pela espécie. 

Especialistas destacam a importância dessas observações, ressaltando que as questões fundamentais sobre a reprodução desses gigantes marinhos permanecem em grande parte sem resposta. 

O momento capturado pelos pesquisadores sugere fortemente que o tubarão não se afastou muito do local de nascimento, pois ele aparentava ser muito novo, logo, não poderia ter vindo de muito longe. 

Conhecer para proteger

Tubarão filhote tem corpo em tom claro. (Fonte: Carlos Gauna/Divulgação)Tubarão filhote tem corpo em tom claro. (Fonte: Carlos Gauna/Divulgação)

A possível eliminação do "líquido amniótico" pelo tubarão-branco recém-nascido, como sugerido pelos pesquisadores, destaca a importância dessas descobertas para a compreensão da gestação desses predadores marinhos.

Enquanto alguns mistérios persistem, como a data exata do nascimento e a natureza do fluido branco, os cientistas concordam que esta observação é verdadeiramente única, principalmente quando se pensa na futura preservação desses animais. Os grandes tubarões-brancos são atualmente listados como vulneráveis à extinção.

A confirmação de que as águas ao largo da Califórnia são um berçário para esses animais pode demonstrar a necessidade de medidas de conservação mais rigorosas, com destaque para leis que protegessem a espécie. À medida que os cientistas continuam a desvendar os segredos do oceano, essa descoberta serve como um lembrete vívido da maravilha e complexidade da vida marinha, especialmente quando se trata de criaturas tão majestosas e misteriosas quanto os tubarões-brancos.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.