Depois de ter a identidade confirmada através de diversos exames, o esqueleto do Rei Ricardo III — descoberto enterrado sob um estacionamento na Inglaterra — também recebeu um rosto. De acordo com a BBC, a face do monarca morto há mais de 500 anos foi reconstruída com base no crânio encontrado.

(Fonte da imagem: Reprodução/BBC)

Segundo a publicação, a reconstrução foi realizada após uma série de levantamentos científicos, e os pesquisadores se basearam na hipótese de que o crânio pertencia a um desconhecido. Mesmo sem utilizar nenhum dos retratos do monarca como referência, os cientistas apresentaram um modelo que conta com queixo proeminente e nariz com formato ligeiramente aquilino, duas características coincidentes com as pinturas existentes de Ricardo III.

Para realizar a reconstrução, os pesquisadores primeiro aplicaram as camadas de músculos e pele sobre uma versão digitalizada do crânio, utilizando um programa de computador específico. Depois que o modelo tridimensional ficou pronto, os pesquisadores criaram uma réplica de plástico e só então utilizaram as pinturas do rei para decidir sobre o tom de pele, cor e estilo dos cabelos, vestimentas e cor dos olhos.