Seja o primeiro a compartilhar

Como e quando usar o travessão nos textos?

Na prática, o travessão (—) é um verdadeiro mistério para algumas pessoas — mas não precisa ser. Tanto é que já comecei a coluna desta semana empregando exatamente esse sinal de pontuação.

(Fonte: Giphy)(Fonte: Giphy)

Vou explicar melhor. Na gramática normativa da língua portuguesa, o travessão tem regras específicas de uso, que podem ser resumidas da seguinte maneira:

1. Travessão para separar palavras ou orações explicativas ou enfatizadas (como o caso da primeira frase da coluna de hoje)

Exemplos:

Um bom ensino — diga-se mais uma vez — exige a valorização do professor.

Eles dizem — embora ninguém acredite — que são de confiança.

As duas personagens — mãe e filha — tiveram um desfecho marcante na série.

A presença feminina em cargos de liderança representa, obviamente, um passo importante — que deve ser encarado como apenas o primeiro de muitos.

2. Travessão no discurso direto

Para mostrar o início da fala de uma personagem, a mudança de interlocutores e a mudança para o narrador por meio de um verbo de elocução — aqueles que anunciam o discurso, como “dizer”, “perguntar”, “responder”, “comentar”, entre outros. 

Exemplos:

— Quanto tempo até o Centro? — perguntou a senhora.

— Uns 15 min. — respondeu o motorista.

— Obrigada!

Não confunda travessão com hífen e meia-risca

É preciso atenção para não confundir travessão com hífen e meia-risca. Para começar, observe como o tamanho de cada sinal é diferente:

  • Travessão: (no teclado do computador, use o atalho Alt + 0151)
  • Meia-risca: – (no teclado do computador, use o atalho Alt + 0150)
  • Hífen: -

Além disso, os contextos de uso são bem diferentes. Enquanto o travessão segue as regras listadas no início da coluna, a meia-risca deve ser empregada para ligar as extremidades de um intervalo, como em “ponte aérea Rio–São Paulo” e “1970–1998”. 

Já o hífen é bem mais frequente, marcando presença em contextos como substantivos compostos (ex.: matéria-prima), palavras formadas por derivação prefixal (ex.: micro-ondas), colocação pronominal (ex.: levá-la), divisão silábica, entre outros.

Até semana que vem!

***

Debora Capella, colunista semanal do Mega Curioso, é mestre em Estudos da Linguagem e atua nas áreas de revisão, edição, tradução e produção de textos há 15 anos.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.

Comentários

Você já percebeu que passamos por algumas mudanças por aqui, né? Uma delas é melhorar também o nosso campo de comentários - e nada melhor do que você, nosso leitor, para nos ajudar e garantir que a gente esteja no caminho certo. Substituímos temporariamente nossos comentários por uma pesquisa rápida para implementarmos mais uma melhoria. Como você acredita que nossa interação pode ser mais próxima aqui?

CLIQUE AQUI PARA RESPONDER