Seja o primeiro a compartilhar

5 ditadores terríveis que você talvez nunca tenha ouvido falar

Durante a história da humanidade, existiram diversas figuras emblemáticas lembradas até hoje pelo mal que fizeram a outras pessoas. Adolf Hitler, Benito Mussolini, Josef Stalin e Mao Tsé-Tung são apenas alguns exemplos de ditadores conhecidos internacionalmente pelas mortes, caos e destruição que causaram no planeta.

Porém, existiram muitos outros reis, imperadores, ditadores militares e presidentes vitalícios que não receberam tanto "reconhecimento" por suas políticas genocidas e repressivas. Mas isso não significa que você não deva conhecê-los. Veja só essa lista com cinco ditadores terríveis que você provavelmente nunca ouviu falar!

1. Ne Win

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

O enigmático líder militar Ne Win atormentou Mianmar como ditador por 26 longos anos, de 1962 a 1988. Muitas vezes caracterizado pela sua excentricidade, ele implementou uma série de políticas econômicas bizarras, incluindo a infame decisão em 1987 de desmonetizar a maior parte da moeda do país.

A mistura de autoritarismo e peculiaridade de Ne Win o fez um líder mais cativante do que a maioria. No entanto, isso não muda o fato dele ter sido brutal e impiedoso em seus atos, causando a pobreza de seu povo e matando milhares por conta disso.

2. Jean-Bedel Bokassa

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

No seu ápice político, Jean-Bedel Bokassa se nomeou Imperador da República Centro-Africana, emergindo como um dos ditadores mais extravagantes e excêntricos da África no século XX. Chegando ao poder por meio de um golpe militar em 1966, Bokassa mais tarde coroou-se numa suntuosa cerimônia que levou sua empobrecida nação à falência.

Além disso, durante seu tempo no poder, sofreu alegações de canibalismo e ficou reconhecido pelo caos, crueldade e morte. Seu reinado só chegou ao fim em 1979, quando a França interveio, derrubando seu império e reestabelecendo a república na região.

3. Alberto Fujimori

(Fonte: Koichi Kamoshida/Newsmakers/Getty Images)(Fonte: Koichi Kamoshida/Newsmakers/Getty Images)

O antigo presidente do Peru, Alberto Fujimori, assumiu o cargo em 1990 e rapidamente ganhou popularidade por combater a corrupção e também por implementar reformas econômicas que estabilizaram a inflação peruana. No entanto, a sua presidência tornou-se sinônimo de práticas autoritárias e violações dos direitos humanos.

Numa reviravolta surpreendente, Fujimori dissolveu o Congresso do país em 1992 e assumiu o controle do poder judicial. Embora não tenha sido exatamente o ditador mais brutal da história, vale ressaltar que suas práticas contra a democracia não merecem ser homenageadas.

4. Islam Karimov

(Fonte: Getty Images)(Fonte: Getty Images)

Islam Karimov, o primeiro presidente do Uzbequistão, manteve controle firme do poder desde a independência do país em 1991 até a sua morte, em 2016. Conhecido pelo seu regime autoritário, Karimov manteve o controle mediante uma combinação de repressão política e um culto à personalidade cuidadosamente alimentado.

O ápice da sua destruição pode ser vista no massacre de Andijan em 2005, quando as forças governamentais violentamente dispersaram manifestantes contrários ao governo, matando mais de 1,5 mil pessoas.

5. Nicolae Ceauzescu

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Secretário-geral do Partido Comunista Romeno e presidente da Romênia, Nicolae Ceauzescu manteve o poder desde 1965 até uma queda dramática e humilhante em 1989. Ele inicialmente ganhou popularidade pela sua oposição à invasão soviética da Checoslováquia em 1968, mas seu regime rapidamente evoluiu para uma crescente repressão e má gestão econômica.

NA década de 1980, Ceauzescu implementou medidas de austeridade para saldar dívidas externas, levando a uma escassez extrema de bens básicos. Isso, juntamente com os seus esforços para aumentar a população do país por meio de políticas pró-natalinas, prejudicou ainda mais a economia e aprofundou a crise na Romênia. Em dezembro de 1989, uma onda de protestos pôs fim ao seu regime, fazendo com que Ceauzescu e sua esposa fossem capturados, julgados às pressas e executados no dia de Natal daquele ano. 

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.