Seja o primeiro a compartilhar

McDonald's x dicionários: uma briga que deu o que falar nos anos 2000

Segundo o site oficial do McDonald’s, há mais de 2 milhões de funcionários nos 36 mil pontos de venda da rede ao redor do mundo. Mas, para muitas pessoas, trabalhar no restaurante do palhaço Ronald não é uma coisa boa… 

Há quem faça comentários um tanto maldosos sobre as exigências dos cargos e as perspectivas de crescimento na rede — especialmente na época do vestibular ou do ENEM. Algumas até receberam respostas de quem veste o uniforme listrado, como nesse post que viralizou em 2017. 

Esse jovem tratou de responder quem acha que trabalhar no McDonald's é
Esse jovem deu seu recado para quem pensa que trabalhar no McDonald’s é “falta de opção” e o post viralizou (Fonte: Razões para Acreditar/Reprodução)

Por outro lado, não é só no Brasil que esse tipo de polêmica acontece. Em meados dos anos 2000, o McDonald’s declarou guerra aos dicionários da língua inglesa, depois que algumas editoras incluíram o termo “McJob” para definir “um trabalho pouco estimulante e mal pago com poucas perspectivas”. Não havia nenhuma menção direta à rede de fast food, mas com o “Mc” na frente, nem precisava… 

Quem começou com isso foi o dicionário Oxford, do Reino Unido, que publicou essa definição a partir de 2001 — mas o dicionário Merriam-Webster, dos Estados Unidos, que incluiu o termo em 2003, afirma que ele se originou nos anos 80. A verdade é que os dicionários só criaram o verbete “McJob” porque a gíria se tornou muito popular para falar desse tipo de emprego, especialmente nos EUA e no Reino Unido.

“McValorizado”, “McBenefícios”, “McRespeitado”…

Definições e popularidade a parte, é fato que a chegada do termo ao dicionário não agradou nada à direção do McDonald’s. Por isso, a empresa publicou cartas abertas aos dicionários em jornais e entrou em contato com as editoras. Não adiantou. O dicionário Oxford, por exemplo, disse que as definições de palavras refletem o uso popular e não os interesses de empresas ou grupos. 

Mas o McDonald’s não desistiu! Em 2006, alguns anos depois do termo “McJob” ter surgido em todos os dicionários, a empresa fez uma campanha milionária para mudar a definição no Reino Unido. A estratégia contou até com um abaixo-assinado virtual para pressionar a editora e outdoors com termos como “McValorizado” e “McOportunidades”, além de citações aos vários prêmios de “melhor lugar para trabalhar” que o McDonald’s recebeu na época.  

https://www.youtube.com/watch?v=_8CIztd0t-A&feature=emb_logo

As ações do McDonald’s até fizeram barulho — só não fizeram efeito mesmo. Se você consultar tanto o Merriam-Webster, quanto Oxford, vai ver o termo “McJob” por lá, com essa conotação negativa. Agora, se a definição do termo é justa com a realidade dos empregos na rede de fast food, só quem trabalha lá pode dizer, né? Independente disso, a guerra “McDonald’s x Dicionários” é uma das mais inusitadas que já vimos…

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.