Seja o primeiro a compartilhar

Será que você é cringe? Entenda a recente discussão das redes sociais

Conflitos entre gerações são normais: seu avô falando que "no meu tempo era melhor!" ou sua tia falando mal desses "jovens de hoje em dia", por exemplo. O que os millennials do Twitter não esperavam é que eles se tornariam alvo desses comentários — no caso, das pessoas ainda mais jovens da geração Z. 

Quem tem entre 25 e 40 anos pode ser considerado "cringe" pelos adolescentes, como mostra a discussão que viralizou nas redes sociais na última semana. Em resumo, coisas que os adultos fazem e os adolescentes acham constrangedoras podem ser definidas como cringe. Porém, se você quer entender melhor o que são os millennials, a geração Z e esse novo termo da internet, a gente explica tudo. 

Conflito de gerações

Desde o período após a Segunda Guerra, é comum que cada nova geração receba um nome pela mídia — o que influencia também o marketing para essa faixa etária e outras questões. A primeira geração do pós-guerra foram os baby boomers, que definiram os conceitos de juventude na era moderna e já se tornaram idosos. Depois, veio a geração X, nascida entre o final da década de 1960 e os anos 1970.

Os millennials, que formam um dos lados da disputa "cringe" da internet, são aquelas pessoas que cresceram na virada do milênio, como o próprio nome sugere. Nascidos entre 1980 e 1995, eles estão na faixa dos 25 a 40 anos e também são chamados de geração Y. Quem é realmente jovem hoje em dia pertence à geração Z, dos nascidos depois de 1995. 

É difícil para mim, nascido em 1992, pensar que estou ficando velho — afinal, 2000 foi ontem! —, mas a verdade é que já tem outra geração mais jovem que a nossa e nós já viramos "cringe". 

O que é e de onde surgiu o cringe?

Muita gente nunca tinha ouvido falar nessa palavra antes dela viralizar no Twitter, na última semana, mas "cringe" é um verbo em inglês — que significa se encolher ou fugir de algo, literalmente, mas também é usada no sentido de "sentir vergonha", segundo o dicionário Cambridge online. Em inglês, também se usa "awkward" ou "estranho". 

A questão é que o verbo virou um adjetivo no vocabulário dos adolescentes brasileiros: uma música pode ser "cringe", uma série pode ser "cringe", um comportamento ou uma pessoa podem ser "cringe". Especialmente se for da geração millennial... Na real, nós mais antigos usaríamos o termo "mico" ou "vergonha alheia" para se referir a isso, mas os adolescentes preferem usar cringe. 

A partir disso é que surgiu a recente discussão entre gerações nas redes sociais: uma digital influencer perguntou o que os adolescentes da geração Z acham um mico ou cringe nos millennials — que nem são tão mais velhos que eles. O tweet recebeu mais de 10 mil respostas e 36 mil likes em poucos dias. 

Piada pronta

A verdade é que essa discussão toda é uma grande brincadeira — mas que rendeu muitos comentários inflamados no Twitter e no Instagram. Veja algumas respostas:

Como era de se esperar, muitos millennials ficaram debaixo da galinha (isto é, chocados) com as coisas que os adolescentes acham mico/cringe. Afinal, em que mundo o café da manhã caiu em desuso? Além disso, quando foi que a gente deixou de ser jovem? 

Mas, como qualquer conversa boba de internet, a história do cringe acabou rendendo vários memes — se a discussão é inútil, os memes serviram para rir, pelo menos. Um dos melhores foi esse post do perfil satírico Greengo Dictionary, com quase 200 mil likes.

Mas o melhor de todos, na minha humilde opinião de millennial, foi esse vídeo do perfil Aff The Hype — que exemplifica justamente o choque dos "trintões" ao descobrirem que não são mais tão jovens. Se você bebe café, fala em boleto, usa o emoji de chorando de rir e tinha CD da Rouge com glitter, você é cringe! Temos que nos conformar.

Teve até um "crossover" de virais, com um meme em negativo parodiando a música do Zeca Pagodinho: "Descobri que sou cringe demaaaais" (leia no ritmo):

Twitter/ReproduçãoTwitter/Reprodução

O termo cringe acabou entrando nos trending topics do Twitter e está sendo bastante comentado nesses últimos dias — em partes, por tweets perguntando justamente o que ele significa. No meio disso tudo, já tem muita gente assumindo que é mico/cringe mesmo e que os geração Z podem achar o que quiser. Afinal, se falar em boleto é cringe, imagine ter que pagá-los? 

Café é bom, litrão é maravilhoso e o emoji do chorinho é a melhor forma de expressar graça. Então, se você achou essa história toda (e a nossa matéria) engraçada, deixe seu emoji de chorando de rir nos comentários. E se você é da geração Z... provavelmente vai achar cringe ter que explicar o meme, né?

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.

Comentários

Você já percebeu que passamos por algumas mudanças por aqui, né? Uma delas é melhorar também o nosso campo de comentários - e nada melhor do que você, nosso leitor, para nos ajudar e garantir que a gente esteja no caminho certo. Substituímos temporariamente nossos comentários por uma pesquisa rápida para implementarmos mais uma melhoria. Como você acredita que nossa interação pode ser mais próxima aqui?

CLIQUE AQUI PARA RESPONDER