Seja o primeiro a compartilhar

Miyake Jima: a ilha onde os habitantes precisam usar máscaras de gás

Na ilha de Miyake Jima, localizada no sudoeste de Honshu, no Japão, com uma área de mais de 55 mil quilômetros quadrados, os habitantes vivem quase a realidade distópica que os filmes retratam desde 2014 e que os cientistas têm alertado frequentemente, em caso de uma explosão no aquecimento global ou um apocalipse nuclear –, quando teremos que andar com máscaras de gás.

Ainda que não seja por nenhum dos motivos listados acima, o que acontece na ilha é, no mínimo, perturbador, e isso adquiriu um aspecto ainda mais marcante durante a década de 1960, quando o próprio Japão ainda vivia à sombra do fantasma deixado pelas bombas de Hiroshima e Nagakasaki, e a tensão causada pela Guerra Fria, que poderia maximizar o que aconteceu em 1945 nas duas cidades japonesas em proporções homéricas.

Antes de Miyake Jima se tornar uma versão real de Silent Hill, a ilha era um local calmo e bonito à sombra do Monte Oyama, um vulcão ativo de 1.252 metros de altura, que entrou várias vezes em erupção nos últimos 500 anos.

Um lugar perigoso

(Fonte: Take off with Natarajan/Reprodução)(Fonte: Take off with Natarajan/Reprodução)

A ilha de Miyake Jima inteira é um estratovulcão, considerado os maiores vulcões da Terra e também o mais mortífero, podendo atingir 100 km de extensão, conhecido por sua atividade longa, sua pequena cratera, e flancos íngremes formados pelo magma extravasado durante suas erupções.

A imprevisibilidade típica da sua classificação, fez o Monte Oyama causar a morte de 11 pessoas durante erupções que aconteceram entre 1962 e 1983. Sua atividade não só é símbolo de medo devido ao seu tamanho, quanto é considerada mortal por vomitar dióxido de enxofre para os céus em abundância.

(Fonte: Trek Zone/Reprodução)(Fonte: Trek Zone/Reprodução)

Em agosto de 2000, o vulcão forçou a evacuação em massa de mais de 2 mil habitantes da ilha para abrigos locais, superando a erupção de 1983, que causou morte e pânico, considerada a mais forte desde então. Para quem vive nas redondezas, sempre que os alarmes da cidade soam, indicando um nível danoso na qualidade do ar devido aos gases tóxicos, as pessoas precisam colocar suas máscaras de gás.

A situação atingiu um nível tão grave que as pessoas só conseguiram voltar para casa em 2005 após o acontecido daquele ano, sendo que os voos permaneceram interrompidos por 8 anos na área, porque os altos níveis de enxofre tornaram a região perigosa demais para viver.

Uma realidade diferente

(Fonte: Tioga County Vacation Rentals/Reprodução)(Fonte: Tioga County Vacation Rentals/Reprodução)

Aqueles que voltaram para suas casas na ilha em 2005, foram obrigados a carregar o tempo todo uma máscara de gás, como parte da lei instaurada pelo governo japonês, submetendo também todos os habitantes a exames regulares de saúde como uma espécie de "visto anual" se quisessem permanecer legalmente.

Apesar das máscaras e outras medidas de segurança, um terço da ilha segue completamente fora dos limites humanos, porque as condições do ar acabariam com a vida de qualquer um em poucos meses. Além disso, a área é também considerada perigosa em caso de uma erupção repentina.

(Fonte: Pinterest/Reprodução)(Fonte: Pinterest/Reprodução)

Essa realidade à parte do mundo, criou uma imagem praticamente mal-assombrada de Miyake Jima, principalmente quando a mídia cunhou o termo "ilha da máscara de gás", como se lá fosse um local onde a humanidade falhou e fosse obrigada a viver naquelas condições. Na verdade, ainda que possa parecer meio perturbador crianças, adultos e idosos andando pelas ruas vestindo um equipamento que causa calafrios em qualquer um por estar associado a um evento catastrófico, essas pessoas são normais e vivem uma vida normal.

Elas estão lá porque nasceram lá e escolheram habitar uma ilha com um conjunto de regras estritas e estranhas devido a uma ameaça geológica. E, muito embora isso resulte em fotos que evocam uma aparência sombria e melancólica até mesmo em casamentos e festas de aniversário, beirando a contemplação da própria morte, a cidade não é só isso.

(Fonte: The Plaid Zebra/Reprodução)(Fonte: The Plaid Zebra/Reprodução)

A ilha possui uma cultura preservada muito rica e é altamente movimentada pelo turismo – se você não se importar em usar uma pesada máscara de oxigênio durante toda sua estadia. Miayke Jima é o lar de várias maravilhas naturais, como aves, animais raros na esteira da extinção devido às atividades nocivas do vulcão, recifes de coral e visita aos golfinhos que vivem na costa.

Olhando por esse lado, é quase como se tudo na ilha fosse normal.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.