6 ações cotidianas que acontecem de forma surpreendente no espaço
216
Compartilhamentos

6 ações cotidianas que acontecem de forma surpreendente no espaço

Último Vídeo

A vida no espaço pode ser surpreendente: além de ver a Terra de longe e outros cenários incríveis cheios de astros e estrelas, os astronautas experimentam diferentes sensações físicas ao tentar fazer coisas do cotidiano – ou realizar experimentos específicos. Aqui, reunimos algumas das mais curiosas (ou assustadoras) situações que ocorrem no espaço de forma bastante diferente ao que podemos acompanhar na Terra.

1. Você não pode arrotar!

Não ter gravidade significa que não há força de empuxo e que não há nada empurrando bolhas de gás e de bebidas carbonatadas no espaço. Isso significa que as bolhas de dióxido de carbono simplesmente ficam presas aos seus líquidos, mesmo quando despejadas para dentro do estômago dos astronautas. Sem a gravidade, os astronautas não podem arrotar, o que faz com que o consumo de bebidas carbonatadas seja extremamente desconfortável.

2. As bactérias se proliferam mais e de maneira mais mortal

Pesquisas espaciais feitas nos últimos 30 anos comprovaram que as colônias de bactérias crescem de forma assustadoramente rápida fora da atmosfera terrestre. Cientistas afirmam que grupos de bactérias tendem a crescer cerca de duas vezes mais rápido do que na Terra.

Além disso, algumas colônias de bactérias ficar ainda mais mortais. Um experimento controlado feito em 2007 com testes de crescimento de salmonela no ônibus espacial Atlantis apontou que o ambiente espacial alterou mais de 167 genes das bactérias. Estudos realizados em terra, ao final da missão, mostraram que esses ajustes genéticos fizeram com que a salmonela tivesse cerca de três vezes mais chances de causar doença em camundongos do que as bactérias cultivadas por aqui.

São diversas hipóteses sobre o crescimento de bactérias em um ambiente sem gravidade. Uma delas seria que as os microrganismos simplesmente teriam mais espaço para crescer do que na Terra. Já as respostas em alterações genéticas podem acontecer por um tipo de “stress” causado em uma proteína chamada Hfq, que desempenha um papel importante no controle da expressão do gene.

3. As chamas viram bolas de fogo

Se você acender um fósforo, suas chamas vão subir, certo? Mas, se você estiver a bordo de uma nave espacial, elas podem se transformar em bolas de fogo que se movem para qualquer direção.

Os cientistas explicam o fato curioso: quanto mais você estiver perto da superfície da Terra, mais moléculas de ar existem, graças à gravidade do planeta que as puxa para perto. Por outro lado, a atmosfera vai ficando cada vez mais rarefeita conforme você sobe, o que causa o declínio da pressão.

Fonte da imagem: Reprodução/Live Science

Essa diferença causa um efeito chamado convecção natural. Em situações normais, à medida que o ar ao redor da chama se aquece, ele também se expande e se torna menos denso do que o ar frio do ambiente. Como as moléculas de ar quente tentam se expandir, as moléculas de ar frio empurram novamente. Na base da chama, existem mais moléculas de ar frio fazendo pressão do que no topo, e isso cria o conhecido formato do fogo.

No entanto, em um ambiente sem gravidade as moléculas de ar frio existem de forma igual e não com maior concentração na base. Ou seja: a chama fique com um formato esférico, causado pela pressão vinda de todos os lados.

4. A água ferve em uma gigante bolha

Aqui na Terra, a água fervida apresenta milhares de bolhas minúsculas de vapor, no entanto no espaço o efeito é diferente: lá fora, ao ser fervida, a água cria uma gigantesca bolha ondulante.

A dinâmica de fluidos é algo tão complexo que os cientistas não sabiam ao certo o que aconteceria com a água fervente em microgravidade até que o experimento foi realizado, em 1992, a bordo de uma nave espacial.

Segundo os cientistas, o fenômeno acontece devido à ausência de convecção e flutuabilidade, que são dois eventos causados pela gravidade. De acordo com a NASA Science News, experiências simples como essa podem ser muito úteis: “Observar a fervura de líquidos no espaço pode ajudar na criação de sistemas de refrigeração mais eficientes para naves espaciais. O experimento também pode ser usado para projetar usinas de energia para estações espaciais, por exemplo, usando a luz solar para ferver um líquido e criar o vapor que, em seguida, pode girar uma turbina e produzir eletricidade”.

5. Cheirar uma rosa pode ser uma experiência diferente

Flores contam com compostos aromáticos diferentes quando cultivadas no espaço e, como resultado, seu perfume é notavelmente diferente. Isso acontece pelos óleos que são produzidos pelas plantas e carregam suas fragrâncias.

Esses óleos são fortemente afetados por fatores ambientais, como a temperatura, umidade e a idade de uma flor. Considerando sua delicadeza, não é uma surpresa que eles sejam afetados em um ambiente de microgravidade.

O suor se acumula no corpo

Se você já viu o vídeo feito por Chris Hadfield mostrando o que acontece ao se torcer uma toalha no espaço, vai entender facilmente o que acontece com o suor do corpo. Com a ausência da gravidade, as gotas se acumulam, como se estivessem “grudadas” na pele, sem cair ou escorrer.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.