Inflamatório, masculino, intraductal: conheça diferentes cânceres de mama
57
Compartilhamentos

Inflamatório, masculino, intraductal: conheça diferentes cânceres de mama

Equipe MegaCurioso
Último Vídeo

Como você sabe, todos os anos durante o mês de outubro o mundo se veste de rosa e se une no combate ao câncer de mama através de divulgação de iniciativas, esclarecimento de mitos e circulação de informações — muitas informações! Afinal, é através do conhecimento que podemos nos armar melhor e ajudar na luta contra essa doença terrível. Confira a seguir alguns dos principais tipos de câncer que podem afetar as mamas:

1 – Carcinoma ductal in situ

Também conhecido como carcinoma intraductal não invasivo, o carcinoma ductal in situ é o nome dado à presença de células anormais no interior dos ductos mamários e se caracteriza por uma lesão que ainda não se desenvolveu em um câncer propriamente dito.

O carcinoma ductal in situ se refere, na verdade, a uma das formas mais prematuras de câncer de mama e, portanto, pode ser efetivamente tratada se for detectada com tempo. Por outro lado, caso o problema não seja diagnosticado, as células anormais podem acabar se espalhando para os demais tecidos da mama. Nesse caso, o carcinoma intraductal progride para o que vamos descrever a seguir.

2 – Carcinoma ductal invasivo

Quando o carcinoma intraductal não é percebido e acaba se espalhando para outros tecidos mamários, ele passa a se chamar carcinoma ductal invasivo — onde “carcinoma” é o nome dado a qualquer tipo de câncer que começa na pele ou em tecidos que cobrem órgãos internos; “invasivo” significa que ele se alastrou ou invadiu células da mama; e “ductal” corresponde ao local no qual o problema foi originado, ou seja, os ductos mamários.

Em outras palavras, o carcinoma ductal invasivo — às vezes chamado de infiltrante também — é o câncer que consegue ultrapassar as paredes internas dos ductos mamários e começa a se difundir por outros tecidos e até para outras partes do corpo. Ele é o tipo de câncer de mama mais comum que existe e corresponde a aproximadamente 80% de todos os casos diagnosticados.

3 – Triplo negativo

O diagnóstico do câncer de mama quase sempre é feito com base na presença — ou completa ausência — de três receptores no organismo dos pacientes, sendo eles os receptores de estrogênio, de progesterona e o do oncogene HER2/neu, e a maioria dos tratamentos disponíveis está focada nesse trio de receptores.

Infelizmente, em alguns pacientes, nenhum desses três receptores está presente — e, por essa razão, esse tipo de câncer de mama é chamado de triplo negativo, porque o tumor é receptor de estrogênio negativo, receptor de progesterona negativo e HER2 negativo. Mas, nem tudo é negativo nesses casos, já que esse tipo de câncer costuma responder à quimioterapia, contanto que o tratamento comece nas fases iniciais da doença.

4 – Inflamatório

O nome “oficial” deste câncer é carcinoma inflamatório de mama, e ele está entre os tipos mais agressivos. Ao contrário dos cânceres que descrevemos anteriormente, o inflamatório não produz nenhum tumor ou caroço nas mamas — que é tipo de sinal que a maioria das pessoas tenta identificar nos autoexames.

O câncer inflamatório acontece quando as células cancerosas invadem a pele e os vasos linfáticos da mama, dando origem a sintomas como irritação, coceira, vermelhidão, inchaço e sensação de pele quente ao toque, por exemplo, e o pior é que esses sinais podem ser confundidos com a mastite — ou inflamação da glândula mamária —, picadas de insetos ou com uma simples erupção cutânea.

Além disso, a pele da mama pode apresentar textura irregular — como a de uma casca de laranja — e também podem ocorrer alterações nos mamilos, incluindo retração, inversão ou presença de depressões na região.

5 – Câncer de mama masculino

Não pense que o câncer de mama é uma exclusividade feminina. Embora seja muito menos comum nos homens, não podemos nos esquecer que eles também possuem tecido mamário e, portanto, estão suscetíveis ao surgimento da doença. As causas da maioria dos casos são desconhecidas, mas, assim como acontece com as mulheres, os principais fatores de risco são alterações nos níveis hormonais, histórico familiar e as mutações genéticas.

Outras causas para o surgimento do câncer de mama nos homens podem ser a exposição à radiação e a presença da Síndrome de Klinefelter, na qual os afetados têm uma taxa mais elevada de estrogênio (hormônio feminino) e níveis mais baixos de progesterona (hormônio masculino) do que o normal. Os principais sintomas são a detecção de caroços, presença de linfonodos inchados nas axilas, secreção ou dor nos mamilos e irritação da aréola.

6 – Metastático

O câncer de mama metastático é aquele que, infelizmente, já se espalhou para outras partes do corpo, geralmente para pulmões, ossos, cérebro e fígado. Esse processo normalmente acontece quando as células cancerosas invadem células saudáveis do corpo próximo ao local onde o câncer se originou e quando as células doentes entram no sistema linfático ou circulatório — o que permite que elas transitem e se instalem em outras partes do corpo.

O problema do câncer, como você deve saber, é que, uma vez que ele comece a se espalhar pelo organismo, é difícil controlá-lo. Alguns tipos podem ser tratados com as terapias que existem disponíveis atualmente, como a radioterapia, quimioterapia, cirurgias etc., mas alguns não respondem bem a essas abordagens. Portanto, é imprescindível que o câncer de mama seja identificado e combatido o quanto antes!

Outros tipos de câncer de mama

Carcinoma medular: responsável por 3% a 5% dos cânceres de mama, o carcinoma medular nem sempre é identificado através do autoexame, já que, em vez de se caracterizar como um caroço, ele dá mais a sensação de parecer um tecido esponjoso.

Carcinoma tubular: este câncer contabiliza apenas 2% dos casos e se caracteriza pelo formato tubular das células — quando elas são observadas através do microscópio; esse tipo geralmente afeta mulheres com mais de 50 anos de idade e é identificado pela mamografia, já que, como no caso anterior, em vez de caroços, os tumores geralmente têm textura esponjosa.

Doença de Paget: bastante raro, o câncer de mama resultante da doença de Paget geralmente começa nos ductos mamários e se espalha para a pele do mamilo e aréola, causando vermelhidão, coceira e descamação; ele é responsável por 1% dos casos registrados.  

Tumor filoide: diferente dos demais cânceres que mencionamos acima — que se desenvolvem no interior dos ductos mamários —, os tumores filoides se originam no tecido conjuntivo da mama; essas massas quase sempre são benignas, mas, embora seja muito raro, elas podem ser malignas também.

***

Faça o autoexame regularmente e não deixe de visitar o seu médico para exames periódicos. Caso você identifique qualquer problema — ou conheça alguém que tenha identificado — procure ajuda o quanto antes. O câncer de mama e a sua saúde e a de quem você gosta são assuntos sérios!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.