Tenso: comida superpopular na Tailândia pode levar ao surgimento de câncer
104
Compartilhamentos

Tenso: comida superpopular na Tailândia pode levar ao surgimento de câncer

Equipe MegaCurioso
Último Vídeo

Pense em uma comida superpopular na sua cidade, dessas que a gente normalmente adora e encontra nas feirinhas de rua. Agora, imagine que alguém descobre que esse quitute — que todo mundo come! — pode ser mortal. Tenso, né?

Pois, segundo Oliver Holmes, do The Guardian, um médico na Tailândia iniciou uma campanha contra um prato típico chamado koi pla, já que seu consumo está associado ao desenvolvimento de uma forma agressiva de câncer chamada colangiocarcinoma que afeta os dutos que transportam a bílis pelo fígado.

De acordo com Oliver, o prato é preparado com a carne cru de um peixe local conhecido como khon kaen, especiarias, ervas e suco de limão, e é consumido por milhares de pessoas, especialmente em Isaan, uma das regiões mais pobres da Tailândia.

Doença letal

O colangiocarcinoma é considerado como uma forma rara de câncer — com uma incidência anual de um caso a cada 100 mil pessoas nos EUA. No entanto, Isaan conta com a maior incidência de doentes desse tipo de cancro no mundo, e levantamentos apontaram que cerca de 20 mil tailandeses morrem anualmente por conta desse mal.

Opisthorchis viverrini, parasita que aumenta a predisposição de uma pessoa desenvolver colangiocarcinoma

Além disso, segundo as estatísticas, o colangiocarcinoma representa 50% de todos os casos de câncer diagnosticados em homens em Isaan — o que é bastante alto quando comparado com a proporção global, que não passa dos 10%.

Desinformação

O médico que iniciou a campanha contra o koi pla se chama Narong Khuntikeo — um cara que decidiu se tornar um cirurgião hepático depois de perder os pais para o colangiocarcinoma. O principal foco da ação, na verdade, é o uso da carne crua do peixe khon kaen que, no caso de Isaan, é pescado na região de Mekong, cujas águas servem de lar para parasitas (da espécie Opisthorchis viverrini) que causam o câncer.

Segundo Oliver, há quatro anos, Khuntikeo começou a percorrer toda a região equipado com máquinas de ultrassonografia e kits para a realização de testes de urina. Assustadoramente, os exames revelaram que, em algumas comunidades, até 80% da população havia consumido o parasita e que um terço dos moradores apresentava sintomas de problemas hepáticos.

O peixe (khon kaen) usado na receita

O que acontece é que, como o prato é superpopular e considerado uma iguaria local, com o passar do tempo, a população acaba acumulando uma grande quantidade desses bichinhos no organismo, o que, por sua vez, muitas vezes leva ao desenvolvimento do colangiocarcinoma. Só que, como a maioria das fatalidades é registrada em pessoas de mais idade — que falecem em casa e sem que ocorra muito controle da causa da morte —, muita gente não faz ideia de que está consumindo um alimento potencialmente letal.

Uma solução seria simplesmente cozinhar o peixe antes de incluí-lo na receita — e o médico tem trabalhado duro para informar a população sobre os perigos do consumo da carne crua. Ele vem encontrando bastante resistência à mudança, uma vez que os fãs do koi pla acreditam que mudar o modo de preparação arruinaria o prato, mas, por sorte, pouco a pouco, parece que os locais estão aderindo à ideia.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.