Conheça os 15 sintomas mais comuns da gravidez

Conheça os 15 sintomas mais comuns da gravidez

Equipe MegaCurioso
Último Vídeo

Crédito: Shutterstock

De repente, você se sente mais sonolenta, vai ao banheiro diversas vezes e não sabe muito bem porque está mal humorada em um instante e sorridente em outro. Apesar desses sintomas trazerem alguns incômodos para o seu dia a dia, comemore, pois eles podem ser os primeiros sinais da sua gravidez.

E não tem erro! A ginecologista Maria Letícia Fagundes explica que é muito raro haver uma gestante que não apresente nenhum dos sintomas, assim como é raro que uma mulher passe ilesa pelos desconfortos da gestação. A médica também ressalta que, mesmo que todas as grávidas tenham sintomas, sempre existirão variações quanto à ocorrência, severidade e persistência dos sinais.

Logicamente, existem os sintomas clássicos, que sempre caracterizam as futuras mamães. A Dra. Maria Letícia comenta que a urinação frequente ocorre com 100% das grávidas por conta do crescimento do bebê. A sonolência e o enjoo são outros sinais frequentes que as gestantes costumam relatar. De acordo com a sua experiência, a ginecologista lembra que o inchaço e as dores nos seios são comuns e geralmente são os fatores que levam as mulheres a desconfiar da gravidez.

Crédito: Shutterstock

Os primeiros sintomas não serão suficientes para confirmar sua gravidez. Porém, eles certamente servem de alerta para que você procure um médico e realize um exame para comprovar o fato. A especialista aponta que, caso a gestação seja confirmada, é necessário iniciar imediatamente o pré-natal para garantir a saúde da mãe e do bebê.

Abaixo, a Dra. Maria Letícia Fagundes explica os 15 sintomas mais frequentes da gravidez para que você entenda melhor quais são as alterações que desencadeiam os sinais, além de saber quando e como eles costumam ocorrer:

Enjoos alimentares

Durante a gestação, a mulher passa a produzir outros hormônios além da testosterona, um deles é a gonadotropina coriônica humana (hCG). Ao mesmo tempo em que esse hormônio ajuda a manter a gravidez, ele também provoca náuseas, pois retarda a digestão. Isso faz com que o alimento demore mais para sair do estômago e chegar ao intestino. Geralmente os enjoos são matinais, mas nada impede que ocorram ao longo do dia. Esses sintomas surgem desde o início da gestação e podem se estender até a 16ª semana de gravidez.

Alterações de humor

O desequilíbrio hormonal, por exemplo, pode ter um efeito depressivo sobre as gestantes. Além disso, o medo e a ansiedade também influenciam os sentimentos da grávida. Sendo assim, o sintoma se manifesta através de crises de choro, além de altos e baixos no humor. Essas variações costumam ser mais pronunciadas nas 12 primeiras semanas de gestação e tendem a diminuir à medida que o corpo se adapta ao bombardeio hormonal a que é submetido.

Crédito: Shutterstock

Inchaço abdominal

Logo no início da gestação, as alterações hormonais são responsáveis por diversas mudanças no corpo da gestante. O inchaço abdominal é comum e se apresenta com uma sensação semelhante ao que as mulheres sentem antes de menstruar.

Urinação frequente

O sintoma que acomete 100% das gestantes tem duas causas diferentes. No início da gravidez, a urinação frequente é desencadeada por causa das diversas alterações hormonais que ocorrem no organismo. Mais tarde, com o crescimento do bebê e a compressão de alguns órgãos, o útero aumentado é o responsável pela diminuição da capacidade da bexiga e então as idas ao banheiro são inevitáveis. A urinação frequente é um sintoma que costuma ocorrer durante o primeiro mês e o último trimestre de gestação.

Náuseas

As causas não são muito claras, mas as náuseas podem ter alguma ligação com a formação da placenta. A explicação mais aceita é a de que a gonadotrofina coriônica estimularia os ovários para produzir estrogênio, um hormônio causador dos enjoos. Outra teoria atribui papel importante à deficiência de vitamina B, uma vez que a administração de complexos vitamínicos reduz a incidência e a intensidade do quadro. O sintoma é bastante desagradável e pode chegar a provocar vômitos. As náuseas costumam surgir a partir da 4ª semana e aumentam sua intensidade até a 9ª semana de gestação. Na maioria dos casos, começa a regredir a partir da 20ª semana.

Atrasos menstruais

Outro sintoma frequentemente comentado pelas mulheres é o atraso ou o desaparecimento da menstruação, que é um sinal de que o organismo interrompeu o ciclo menstrual a fim de preparar o útero para acomodar o feto. Logicamente, esse sintoma ocorre logo no primeiro mês da gestação.

Crédito: Thinkstock

Temperatura corporal basal alta

Um dos métodos de acompanhar a evolução do ciclo menstrual e a ovulação é através da temperatura basal do corpo. Quando a fecundação ocorre e a gravidez se confirma, a progesterona aumenta e junto com ela a temperatura do corpo sobe. Essa variação na temperatura do corpo ocorre logo no início da gravidez.

Inchaço das mamas

A produção de leite é um dos fatores desencadeado pelos hormônios responsáveis pela gravidez. Dessa maneira, é comum que as mulheres comecem a se queixar de dores e inchaços nos seios. O estímulo para a produção de leite faz com que esse sintoma apareça logo no primeiro mês de gestação.

Fadiga

Mais uma vez, os hormônios são os grandes responsáveis pelo sintoma. As variações que ocorrem no início da gravidez são as principais causadoras da fadiga. Já no final da gestação, o peso da barriga e as noites mal dormidas são os vilões das gestantes. O sintoma se manifesta através de um grande cansaço ao longo do dia e é comum que a sonolência acompanhe o sinal. A fadiga pode surgir logo nas primeiras semanas e retornar após a 30ª semana.

Sonolência

Aliada da fadiga, a sonolência é causada pelo aumento nos níveis de progesterona, um fenômeno normal que ocorre durante a gestação. A vontade incontrolável de dormir acontece ao longo do primeiro trimestre.

Crédito: Shutterstock

Dores de cabeça

Durante a gestação, o fluxo sanguíneo em todo o organismo se intensifica. Esse fator pode desencadear a sensação de latejamento da cabeça, provocando dores. O sintoma pode persistir durante todo o primeiro trimestre.

Escurecimento das aréolas

A mudança da pigmentação das aréolas é um sinal que surge devido à ação dos hormônios que mantêm a gestação e pode ser notado logo no primeiro mês de gravidez.

Alterações no paladar e no olfato

A mudança que ocorre com os hormônios também afeta os sentidos das gestantes. No caso do olfato, certos aromas se tornam intoleráveis. Já no paladar, pode- surgir uma aversão repentina a algum alimento ou começar a gostar de algo que não se gostava antes. É comum que as alterações no paladar e no olfato se manifestem nas primeiras semanas de gravidez.

Crédito: Thinkstock

Dores nas costas

Os fatores responsáveis pela dor nas costas provavelmente são o peso do útero e as mudanças hormonais. Com o crescimento do útero, os músculos abdominais ficam mais fracos e seu centro de gravidade muda de lugar. Com isso, a postura é alterada, o que acaba forçando nervos e a coluna. A manifestação mais comum são as dores na lombar que surgem nos últimos meses de gravidez.

Prisão de ventre

O sistema digestivo é mais uma das partes do organismo que sofre com as alterações hormonais. O aumento do nível da progesterona faz com que os músculos do corpo, incluindo os intestinos, relaxem. O resultado disso é são os desconfortos, dores abdominais e dificuldades para defecar. Infelizmente, esse é um dos sintomas que surge logo no início da gravidez e perdura por toda essa fase.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.