Saiba o significado de símbolos estranhos presentes em rótulos de cervejas
593
Compartilhamentos

Saiba o significado de símbolos estranhos presentes em rótulos de cervejas

Último Vídeo

Se você é um cervejeiro do tipo observador, durante as suas muitas horas passadas com os amigos na mesa de um bar deve ter notado vários desenhos e símbolos estranhos nos rótulos de cervejas importadas. Pois não pense que se trata de figuras aleatórias que estão ali só para fazer bonito e preencher espaço.

Muitas cervejarias — especialmente as europeias — têm vários séculos de existência, portanto algumas das figuras que aparecem nos rótulos servem para representar parte de sua longa história. O pessoal do site mental_floss publicou um interessante artigo no qual desvendam alguns segredos por trás dessa simbologia toda, e nós aqui do Mega Curioso selecionamos 10 rótulos para você conhecer melhor. Confira:

1 – Amstel

Você já reparou que, na parte superior dos rótulos das cervejas holandesas Amstel, existe um par de leões brancos que parecem estar lutando? Esse símbolo foi emprestado do brasão que representa a cidade de Amsterdã. Veja a seguir:

2 – Beck’s

Se você prestar atenção, verá que nos rótulos da cerveja alemã Beck’s existe uma chave. A logo é, na verdade, uma imagem invertida do brasão de armas da cidade de Bremen, local onde a cervejaria foi fundada e na qual se localiza sua sede.

3 – Dos Equis

Originalmente, a Dos Equis, que começou a ser produzida em 1897, era chamada “Siglo XX” — ou “Século XX” — para homenagear a chegada do século 20. Depois de algum tempo, o nome acabou sendo abreviado para apenas Dos Equis (ou “dois xis”, pois equis é a forma como a letra “x” é pronunciada em espanhol).

Além disso, entre as duas letras “X” do rótulo é possível ver o rosto de Moctezuma II, um governante asteca que foi morto no ano de 1520 durante a invasão espanhola ao México.

4 – Guinness

Caso você olhe com mais cuidado para os rótulos da Guinness, vai notar que existe uma harpa no topo. Esse símbolo representa a Irlanda, e foi adotado por Benjamin Lee Guinness para retratar a cerveja de sua família. Aliás, Benjamin se baseou em uma harpa específica para criar o logo — a Brian Boru’s Harp, um instrumento datado dos séculos 14 ou 15 que se encontra no Trinity College, em Dublin, e é uma das três harpas gaélicas medievais que ainda restam o mundo.

Brian Boru’s Harp

5 Heineken

O pessoal da Heineken admite que não sabe ao certo o que a estrela vermelha que aparece nos rótulos significa, mas eles suspeitam que a figura possa estar relacionada com uma superstição associada às cervejarias europeias durante a Idade Média. Eles acreditavam que o símbolo tinha o poder de proteger sua produção. Outra possibilidade é que, na época, a estrela fosse colocada nas portas para indicar algum estágio específico do processo de fermentação.

Mais uma possibilidade seria a de que quatro das pontas da estrela servissem para representar os quatro elementos — terra, fogo, água e ar —, e que a quinta ponta simbolizasse o desconhecido, um quinto elemento sobre o qual os cervejeiros medievais não tinham qualquer controle. Mas, deixando o misticismo de lado, Alfred Heineken queria que seu rótulo fosse simpático, então alterou o ângulo da letra “e” para ela parecesse sorridente.

6 – Sol

A história sobre o rótulo da Sol mais parece uma lenda mitológica, mas... Lá vai! A cerveja aparentemente foi criada em uma ensolarada manhã de 1899, em uma cervejaria mexicana chamada “El Salto de Agua”. Os raios de sol que surgiram no horizonte formaram uma espécie de leque luminoso sobre o recipiente no qual a cerveja estava fermentando, e o mestre cervejeiro chamou sua produção de “El Sol”.

O rótulo representa esse momento mágico — nós avisamos que a história mais parecia uma lenda mitológica, não avisamos?

7 – Stella Artois

A Stella Artois vem sendo produzida há muito, muito tempo — existem registros de 1366! — e, originalmente, ela foi criada pela cervejaria Den Hoorn em Leuven, na Bélgica. Pois “Den Hoorn” significa “A Corneta”, o que explica o símbolo que até hoje aparece nos rótulos das cervejas dessa marca. Aliás, a denominação Stella Artois só foi adotada em 1717, depois que o mestre cervejeiro Sebastian Artois comprou a Den Hoorn e mudou seu nome.

8 – Kronenbourg 1664

Sabe as faixas vermelhas que formam uma cruz no rótulo da Kronenbourg 1664? Elas servem de homenagem à única faixa vermelha que aparece no brasão de Strasbourg, cidade francesa na qual a cerveja foi produzida pela primeira vez por Geronimus Hatt em 1664.

9 – Newcastle Brown Ale

Existem vários elementos simbólicos no rótulo da Newcastle Brown Ale. Para começar, a estrela de cinco pontas, por exemplo, representa as cinco cervejarias fundadas em Newcastle, na Inglaterra, e a sombra que aparece no interior da figura mostra uma silhueta da cidade, incluindo a Tyne Bridge.

Além disso, as medalhas que aparecem no rótulo simbolizam todas as medalhas de ouro que a cervejaria conquistou durante o International Brewing Awards — um evento internacional que premia as melhores produtoras do mundo — de 1928, ou seja, apenas um ano após a Newcastle Brown Ale ser fundada.

10 – Budweiser

Já reparou na quantidade de texto que existe no rótulo da Budweiser? Pois até o ano de 1908 tudo vinha escrito em alemão — mas, independente do idioma, o conteúdo não reflete nem um pouco de modéstia. O texto da faixa branca que aparece no topo basicamente apresenta a famosa cerveja e explica que não existe outra cervejaria — ao menos da qual a Bud tenha notícia — que empenhe tanto tempo e esforço na produção de suas bebidas.

O texto também menciona o processo de maturação que dá à bebida seu sabor e textura únicos que não poderão ser encontrados em outras cervejas. Já o texto que aparece na parte inferior lista os ingredientes utilizados na produção e as palavras Beer, Bier, Cerveza, Birra e Bierre, todas com a mesma tradução: cerveja. Além disso, desde 1876 o selo da companhia traz o nome dos continentes África, Ásia, Austrália, Europa e América, omitindo a Antártida.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.