Seja o primeiro a compartilhar

Por que as mulheres têm hímen?

Por muito tempo — e, para algumas pessoas, até hoje — o hímen era relacionado à virgindade: se a membrana de uma mulher ainda estava intacta, acreditava-se que ela não havia tido experiências sexuais. 

Embora o sexo (e a virgindade feminina) já não sejam um tabu tão grande na civilização ocidental moderna, ainda há muitos lugares no mundo em que uma mulher com o hímen rompido sofre ostracismo e pode até ser morta em “crimes de honra”. Isso pode ocorrer mesmo que a causa do rompimento seja um acidente ou até um estupro.

Durante séculos, era comum que os maridos expusessem os lençóis manchados de sangue de suas mulheres, após a noite de núpcias. Isso era uma prova de que o hímen tinha se quebrado e a mulher era, portanto, virgem e virtuosa. Esse tipo de prática já rendeu até cena dramática em novela brasileira… Se você assistiu a “O Clone”, de 2001, talvez se lembre do episódio da primeira noite da mocinha Jade com seu marido Said: ele corta o próprio pulso para ter algum sangue para mostrar à família. 

Said, de
Said, de “O Clone”, arrancou o próprio sangue para “provar” que Jade era virgem (Fonte: Rede Globo/Reprodução)

Nada a ver…

A questão é que, hoje em dia, já temos evidências de que essa associação entre o hímen e a virgindade feminina não tem o menor fundamento. 

A membrana, que fica perto da entrada do canal vaginal, pode ser rompida por uma infinidade de outros acontecimentos: desde praticar esportes até se masturbar. Também sabemos que existem casos de pessoas com hímen complacente — que apenas se expande durante a relação sexual e volta ao normal, sem se romper. Além disso, não é todo mundo que sangra quando a membrana é quebrada. Há até casos (raros) de gente que nasce sem ela. Isso tudo depende de cada corpo. 

Os ginecologistas explicam que o hímen estar intacto ou rompido é algo que não faz qualquer diferença na saúde da pessoa. Isso nos remete à pergunta do título: por que a vagina tem essa membrana? A resposta é: ninguém sabe. 

Diversas situações podem romper um hímen, além da penetração por um pênis (Foto: Unsplash)
Diversas situações podem romper um hímen, além da penetração por um pênis (Fonte: Unsplash/Reprodução)

Qual a necessidade disso?

Algumas teorias diziam que o hímen poderia ter surgido no processo de evolução, por conta da preferência dos machos por fêmeas virgens para reprodução. 

A questão é que até fêmeas de várias outras espécies de mamíferos também possuem a tal membrana no canal vaginal — e apenas o macho de Homo sapiens se importa com virgindade. Os elefantes, peixe-bois, chimpanzés, alpacas e lhamas não estão nem aí se a parceira já acasalou com outros antes deles. 

Levando isso em conta, também há quem diga que o hímen serve para proteger as fêmeas de infecções vaginas — que possam atrapalhar sua reprodução. Mas nada disso foi comprovado cientificamente, ainda. O que se sabe é que a membrana surge quando o embrião feminino está no início de seu desenvolvimento, como um resquício da tampa vaginal (que se abre durante a formação do feto). 

O final da história é: o hímen não serve para absolutamente nada, até onde sabemos. Muito menos para atestar a virgindade de alguém — outra coisa inútil. 

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.