Alzheimer: como ajudar um paciente com essa doença?

De acordo com a Associação Brasileira de Alzheimer (Abraz), mais de 1 milhão de idosos convivem com o mal de Alzheimer no Brasil. Trata-se de uma doença degenerativa que faz o indivíduo ter a sua capacidade de raciocínio e memória afetados. Portanto, não é exagero dizer que essa condição pode atingir a vida de toda uma família.

Ainda não há cura para essa doença. O tratamento é feito com a intenção de controlar os sintomas. Sendo assim, é necessário aprender a conviver com a enfermidade, ajudando o paciente de Alzheimer a ter uma vida mais confortável.

Então, que tal aprender a identificar os sintomas do Alzheimer?

Sintomas comuns do Alzheimer

  • Perda de memória.
  • Perguntas repetitivas.
  • Confusão e desorientação.
  • Delírios.
  • Problemas ao dormir entre outros.

Lembre-se que caberá sempre ao médico fazer o diagnóstico e propor o tratamento para qualquer doença, incluindo o Alzheimer.

Cuidando de uma pessoa com Alzheimer

Conviver com uma pessoa doente, independentemente do que ela tem, exige que você entenda o problema. Por isso, acompanhe o paciente em consultas médicas e tire suas dúvidas com quem o está atendendo.

Tenha uma rotina

A rotina irá melhorar a situação de duas maneiras. A primeira é facilitando as atividades, já que será mais difícil perder o controle de ações cotidianas, como preparar as refeições, marcar consultas, tomar remédios etc. A segunda é que uma rotina contribui para o tratamento da doença, já que o seu principal sintoma é a perda de memória.

Proponha atividades

É possível driblar o tédio e fazer o paciente de Alzheimer se sentir mais feliz se você propor atividades a ele. Coloque um disco para tocar, leve-o para passear, chame-o para cozinhar com você, dentre outras atividades.

O idoso com Alzheimer deve interagir com as pessoas ao seu redor e não ficar isoladoO idoso com Alzheimer deve interagir com as pessoas ao seu redor e não ficar isolado.

Em hipótese alguma deixe-o sozinho no quarto, uma vez que a falta de estímulos pode acelerar o processo de degeneração.

Converse sobre temas cotidianos

Conversas que ajudem o paciente a se situar no tempo e espaço podem ser importantes para pessoas idosas: “O inverno está chegando, não é mesmo?”; “O que faremos para o seu aniversário?”; “O que vai acontecer na novela hoje?”. Essas perguntas simples podem ajudá-lo a compreender o calendário  e exercitar a memória.

Tenha paciência

Atividades como se vestir, escovar os dentes e escolher que roupa usar podem levar mais tempo de execução para os pacientes com essa doença. Contudo, é muito importante que eles tentem desempenhá-las, que continuem tendo algum grau de independência. Por isso, tenha paciência e estimule que eles façam algumas atividades sozinhos.

Os tratamentos para o mal de Alzheimer estão evoluindo. É possível que em um futuro não muito distante, essa doença deixe de ser um problema. Enquanto esse futuro não chegar, vamos ajudar nossos idosos que convivem com essa condição — afinal de contas, envelhecer é algo natural.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.