6 técnicas que podem ajudar a melhorar nossa memória

Eu tenho um avô com Doença de Alzheimer, que já está naquela fase de esquecer das coisas, não reconhecer mais as pessoas e se sentir perdido no tempo ou espaço. Minha mãe, filha dele, se preocupa muito que ela ou eu possamos desenvolver a doença. Por isso, de vez em quando, ela convoca a família para jogos de baralho ou memória. "Para exercitar o cérebro", diz ela.

Por isso, quando eu vi essa pauta sobre memória dando sopa no sistema dos redatores do Mega Curioso, eu peguei sem pensar duas vezes. Será que a jogatina da minha mãe tem algum efeito positivo na nossa memória? 

Fonte: PexelsFonte: Pexels

Antes de responder a essa pergunta, é importante mencionar que ela errou na questão da hereditariedade: não é porque meu avô tem Alzheimer que nossa família tem mais chance de desenvolver a demência. Há um ligeiro aumento no risco, mas a doença não está ligada a fatores genéticos

Dito isso, a parte da jogatina está correta. Jogos que exigem raciocínio (como xadrez, quebra-cabeça ou sudoku) são mesmo uma maneira bastante eficiente de exercitar o cérebro. Uma equipe de pesquisadores, liderada pela USP (Universidade de São Paulo) até criou um app, Mente Turbinada, com desafios que contribuem nesse sentido.

Seja para lembrar dos conteúdos que você estuda ou para evitar problemas na velhice, é sempre bom estimular sua memória. Mas jogar não é a única técnica: nós preparamos essa lista abaixo para ajudar você. Confira!

1. Valorize uma boa noite de sono

Essa é uma das técnicas mais simples, porém mais ignoradas para exercitar a memória: dormir bem. É durante o sono que o nosso cérebro processa e organiza as informações que recebemos durante o dia. Há diversos estudos que demonstram a conexão entre o sono e a memória. Então, bons sonhos!

Fonte: UnsplashFonte: Unsplash

2. Pratique exercícios e coma bem

Essa é uma dica importante para quem precisa da memória para os estudos: parar por meia hora por dia para fazer exercícios pode ser mais benéfico do que continuar lendo de forma incansável. Além de diminuir a ansiedade, as atividades físicas também ajudam na circulação — e o cérebro precisa de bastante sangue! 

Uma alimentação saudável, com variedade de vegetais, fibras e proteínas também é essencial para manter nosso organismo saudável e melhorar a memória. 

Fonte: PexelsFonte: Pexels

3. Repita, repita e... repita!

Revisar aquilo que você já aprendeu no dia seguinte e alguns dias depois é uma das técnicas mais conhecidas para memorizar informações. Afinal, ela funciona. Então, antes de aproveitar a aula de revisão para dormir ou mexer no celular, pense nisso.

Conversar sobre as informações, fingir que está dando uma aula ou escrever tudo em um diário são outras atividades que obrigam sua mente a acessar as mesmas coisas de novo, auxiliando na memorização. 

Fonte: PexelsFonte: Pexels

4. Crie conexões entre as informações

Você pode conectar as informações novas com aquilo que você já sabe, dando um contexto para o que aprendeu. Por exemplo: os conceitos de força e inércia da mecânica clássica podem ser aplicados aos esportes, quando um jogador de futebol chuta a bola ou alguém puxa pesos na musculação. Pense nisso, enquanto assiste a uma partida na televisão ou vai à academia.

Fonte: UnsplashFonte: Unsplash

5. Faça associações visuais e conexões estranhas

Criar imagens na mente e associá-las aos conteúdos é uma ótima forma de lembrar das coisas. A memória espacial também pode ser utilizada nesse sentido, com o método de loci, também chamado de "palácio da memória". Em resumo, você cria um lugar na sua mente e distribui as informações nesse espaço, como móveis. Se você quer saber mais sobre essa técnica, para praticá-la, tem uma matéria toda sobre ela.

Por fim, inventar conexões estranhas e engraçadas para as coisas que você que memorizar também é ótimo. Isso é especialmente recomendado para lembrar de pessoas que você conhece: faça uma associação bizarra com o nome dela ou imagine-a em alguma situação bem engraçada. 

Fonte: UnsplashFonte: Unsplash

6. Escreva, com papel e caneta

O MegaCurioso publicou em outubro de 2020: "aprender a escrever à mão desperta a criatividade". Usar papel e caneta para desenhar cada letrinha é uma atividade que exige muito mais do cérebro do que apertar teclas ou digitar no celular. Por isso, anotar as coisas é benéfico para a memória, mesmo que você não consulte as anotações. 

Fonte: UnsplashFonte: Unsplash

Agora, com essas seis técnicas, minha mãe vai ter muitas outras atividades para exercitar a memória nos dias em que a gente não puder jogar com ela! Esperamos que essas dicas também ajudem você que está lendo. 

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.