Abelhas que vivem na cobertura de Notre Dame sobreviveram ao incêndio

Abelhas que vivem na cobertura de Notre Dame sobreviveram ao incêndio

Último Vídeo

No último dia 15 de abril, os danos causados pelo fogo que tomou conta da catedral de Notre-Dame, em Paris, não foram apenas físicos, mas levaram parte da história consigo. Felizmente existem inúmeros registros e até mesmo modelos digitais do importante símbolo da cidade, dados que poderão auxiliar na reconstrução do teto que desabou.

Reprodução/Unsplash/Robin Benzrihem

Uma estrutura que passou despercebida pela maior parte das notícias foi a colmeia colocada no teto da catedral em 2013, como parte de uma iniciativa da cidade para aumentar o número de abelhas na região.

Colmeias ilesas

Após o incidente, foram registradas imagens do que restou através de drones e as colmeias passaram ilesas pela tragédia, visto que estavam a uma distância razoável do fogo. A fumaça provavelmente envolveu a área, mas isso não é algo que prejudique os animais a longo prazo.

Abelhas possuem respiração traqueal, então não podem ser intoxicadas com a fumaça produzida por um incêndio. Na verdade, essa solução é utilizada para dificultar a comunicação entre os animais, que utilizam cheiros e feromônios para alertar uns aos outros sobre possíveis ameaças.

Quando precisam coletar o mel produzido ou realizar alguma manutenção na estrutura da colmeia, os criadores utilizam equipamentos para produzir fumaça e obter o mesmo efeito. O responsável por essas atividades nas colmeias de Notre Dame, Nicolas Geant, declarou que inicialmente pensou que as três colmeias tinham queimado, mas não tinha nenhuma informação oficial.

Reprodução/Beeopic Apiculture

Foram as imagens obtidas por drones que deixaram o homem mais tranquilo, junto de uma informação obtida através do porta-voz da catedral, dizendo que além de a estrutura se manter intacta, as abelhas mantinham suas atividades, entrando e saindo das colmeias.

Em entrevista ao portal The Associated Press, ele disse que “ao invés de matá-las, o CO2 da fumaça as colocou para dormir”. Ainda segundo Geant, “quando as abelhas sentem o fogo elas se empanturram de mel e ficam na colmeia para proteger sua rainha, que não se mexe. Eu vi o tamanho das chamas, então imediatamente pensei que elas iriam matar as abelhas. Mesmo com 30 metros abaixo do telhado superior, a cera nas colmeias derrete a 63 °C”.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.