Seja o primeiro a compartilhar

Operação Red Dog: quando supremacistas tentaram derrubar um governo

Em 27 de abril de 1981, cidadãos canadenses e norte-americanos afiliados a grupos de supremacia branca, incluindo a Ku Klux Klan (KKK), colocaram em prática a "Operação Red Dog", cujo intuito era derrubar o governo de Dominica através de um plano de obstrução militar, restaurando o ex-Primeiro-ministro negro Patrick John ao poder. Surpreendentemente, o político populista afastado do governo queria tanto voltar ao cargo e derrubar a Primeira-ministra Mary Eugenia Charles, que optou por trair o próprio país e estava disposto a entregá-lo de bandeja aos supremacistas.

No comando da operação estavam o americano Mike Perdue, o neonazista alemão-canadense Wolfgang Droege e o contrabandista de armas de Barbados, Sydney Burnett-Alleyne.

Desejo de dominação

(Fonte: All That's Interesting/Reprodução)(Fonte: All That's Interesting/Reprodução)

Com um arsenal de armas automáticas, rifles, espingardas, revólveres, dinamites, muitas munições e uma enorme bandeira nazista em preto e branco, o plano era alugar um barco para Dominica junto com vários botes com o pequeno exército que formaram. Financiados por Martin K. Weiche e James White e L. E. Matthews, Perdue e Roger Dermee receberam cerca de US$ 3 mil para visitar o país insular e fazer um longo reconhecimento de território.

Quando o capitão da tripulação desistiu do projeto, Perdue chegou a abordar um capitão de barco local e veterano da Guerra do Vietnã, Michael S. Howell, alegando que precisava de seu barco para uma operação secreta feita pela Departamento Federal de Investigação (FBI).

(Fonte: LiveJournal/Reprodução)(Fonte: LiveJournal/Reprodução)

Howell contatou a Agência de Álcool, Tabaco e Armas (ATF) dos Estados Unidos e contou sobre o que ouviu. Em 25 de abril, Patrick John foi preso em Dominica, e Perdue entendeu que a missão já não era mais secreta – mesmo assim ele insistiu em continuar.

Na noite amena de Nova Orleans, em 27 de abril, o grupo partiu das docas de Crescent City e se encontrou com os demais grupos entre o Rio Mississipi e o Golfo do México para irem juntos para as praias do Caribe, rumo a proclamar a própria superioridade branca e fundar um etnoestado. Além disso, a operação visava conquistar Dominica como uma forma de estar mais próximo do objetivo de invadir Granada. Os insurgentes queriam estabelecer bordéis, bares, o tráfico de drogas offshore, cassinos e outros tipos de atração turística para criar uma espécie de "Jardim do Éden da depravação branca".

O fracasso do ego

(Fonte: Global News/Reprodução)(Fonte: Global News/Reprodução)

Naquela mesma noite, o grupo foi interceptado pelos agentes do ATF, fracassando a missão dos extremistas antes mesmo de deixarem Nova Orleans. O líder Mike Perdue e outros 6 membros se confessaram culpados e foram condenados por violação da Lei de Neutralidade, recebendo sentenças de 3 anos de reclusão.

Patrick R. John, por outro lado, foi condenado a 12 anos de prisão por conspiração para derrubar o governo, sendo absolvido pela acusação de traição. No entanto, ele acabou apenas cumprindo 5 anos da pena, embora sua carreira política tenha sido destruída de vez.

Por incrível que pareça, outro grupo de supremacistas tentou o mesmo tipo de feito em 1986, só que conspirando para derrubar o governo do Suriname. Mas, como previsto, eles também fracassaram e foram ridicularizados pela mídia como seus pretensiosos antecessores. 

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.

Comentários

Você já percebeu que passamos por algumas mudanças por aqui, né? Uma delas é melhorar também o nosso campo de comentários - e nada melhor do que você, nosso leitor, para nos ajudar e garantir que a gente esteja no caminho certo. Substituímos temporariamente nossos comentários por uma pesquisa rápida para implementarmos mais uma melhoria. Como você acredita que nossa interação pode ser mais próxima aqui?

CLIQUE AQUI PARA RESPONDER