''Caixa misteriosa' achada em praia na Bahia tem origem nazista

A aparição de uma "caixa misteriosa" em uma praia do bairro da Pituba, em Salvador, chamou a atenção das pessoas que passavam pelo local nesta segunda-feira (30). O objeto, que ainda não foi identificado por pesquisadores, é muito semelhante a outros que vêm sendo localizados em diversas praias pela Bahia desde julho deste ano.

Segundo as informações iniciais, o fardo teria aparência bastante igual aos demais encontrados pelo estado. As autoridades repassaram os itens ao Instituto de Geociências da Universidade Federal da Bahia (UFBA) para mais investigações. No dia 2 de agosto, ao menos 8 caixas similares foram levadas pela correnteza até a Praia do Flamengo, também em Salvador.

Tesouro da Segunda Guerra

(Fonte: TV Bahia/Reprodução)(Fonte: TV Bahia/Reprodução)

Caso seja comprovado que a caixa encontrada na praia da Pituba tenha a mesma origem do que as demais, é bem provável que as autoridades estejam lidando com um tesouro naufragado da Segunda Guerra Mundial. Nos casos passados, a Universidade Federal do Ceará (UFC), em parceria com o Instituto de Ciências do Mar (Labomar), conseguiu descobrir que os artefatos nada mais eram do que resquícios de um navio nazista.

Segundo a declaração oficial do oceanógrafo Carlos Teixeira, do Labomar, as caixas eram fardos de borracha de um navio nazista e estavam no fundo do mar há 80 anos. O SS Rio Grande, como era chamada a embarcação, foi afundado por uma frota americana em 1944 e permanece naufragado há pelo menos 6 mil metros de profundidade.

Os primeiros indícios de que os pesquisadores estariam lidando com um tesouro nazista veio de uma inscrição em um dos fardos encontrados no Ceará em 2019. A frase dizia: "Produzido na Indochina Francesa". Naquela época, essa região era dominada por tropas japonesas, que, por sua vez, eram aliadas dos alemães.

Coleta das caixas

(Fonte: TV Bahia/Reprodução)(Fonte: TV Bahia/Reprodução)

Assim como nos casos do surgimento de fardos na Praia do Flamengo e na Praia de Itapuã no início do mês, a Empresa de Limpeza Urbana de Salvador (Limpurb) foi chamada para realizar a coleta da caixa misteriosa na Pituba. O material foi removido da faixa de areia com o auxílio de um caminhão e posteriormente coletado pelos pesquisadores.

Em nota oficial, a Capitania dos Portos da Bahia informou que os pacotes sem identificação têm sido descobertos pelo litoral do Nordeste desde 2018 e que não houve nenhum registro de acidente náutico durante esse período que explicasse o aparecimento das caixas.

A instituição também ressaltou que o material não tem nenhuma característica poluente e que o restante que não foi levado para análise será descartado pelas autoridades competentes. 

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.