Seja o primeiro a compartilhar

Como o Cup Noodles revolucionou a indústria alimentícia mundial

É muito provável que você já tenha ouvido falar em Cup Noodles, a famosa marca de macarrão instantâneo consumido em um copo de plástico térmico fabricado pela gigante japonesa Nissin Foods.

Produzido em seus mais variados sabores, que vão de bolonhesa à costela ao molho barbacue, o prato é caracterizado como um fast food por seu preparo rápido e prático. Ele também é considerado junk food pelo seu alto teor de carboidratos, sódio e gordura saturada, em contraste com níveis baixos de fibras, vitaminas e sais minerais. No entanto, o importante é que o lámen pode salvar qualquer pessoa em um momento de fome no meio da madrugada ou quando o estômago não está segurando nem água.

(Fonte: Food Navigator Asia/Reprodução)(Fonte: Food Navigator Asia/Reprodução)

Segundo a Kyodo News, a Nissin Foods disse que vendeu um total de 50 bilhões de unidades de Cup Noodles em todo o mundo só em maio do ano passado, o equivalente a 10 bilhões a mais do que em 2016, antes do aniversário de 50 anos da empresa.

Como Koki Ando, atual presidente da Nissin Foods, deixou bem claro, o resultado da popularidade e do sucesso do produto se deu pelo apoio de consumidores pelo mundo graças à promoção agressiva, principalmente direcionada às gerações mais jovens, percorrendo um longo caminho desde o século passado até se tornar o produto mais bem-sucedido na história da exportação japonesa, por exemplo.

Uma ideia revolucionária

Momofuku Ando. (Fonte: Blockdit/Reprodução)Momofuku Ando. (Fonte: Blockdit/Reprodução)

Hoje pode parecer extremamente comum comprar uma unidade de Cup Noodles ou ter algum estoque no armário da cozinha, mas em 1958, quando foi criado por Momofuku Ando, fundador da Nissin, o produto exalava cosmopolitismo no Japão. Isso porque a Segunda Guerra Mundial, que havia terminado há 13 anos, foi desastrosa para a sociedade japonesa, e consumir uma refeição para a viagem significava o apogeu do americanismo tão odiado pela nação.

Ando nasceu em uma Taiwan ocupada pelo Japão em 1933 e, quando se mudou para um Japão destroçado pela guerra, viu pessoas fazerem fila para comprar tigelas de macarrão barato em barracas nos mercados clandestinos — visto que o alimento era feito com a farinha de trigo doada pelos Estados Unidos para fazer pão — um produto menos comum na dieta japonesa.

(Fonte: The Asian Magazine/Reprodução)(Fonte: The Asian Magazine/Reprodução)

Querendo fazer um macarrão que as pessoas pudessem comer de maneira fácil, Ando deu início ao que seria uma das maiores empresas do Japão em um galpão no quintal de sua casa.

Ao perceber que o macarrão frito e seco podia ser hidratado quando fervido e temperado com sachês em pó, o primeiro sabor de lámen que o homem inventou foi o de frango, porque parecia rico, nutritivo e americano. Era um apelo, afinal.

O Chikin Ramen, como Ando o nomeou, ganhou notoriedade no Japão pós-guerra após muitos eventos de degustação para que o povo comprasse sua ideia, cujo preço era seis vezes mais caro do que o de uma tigela de macarrão fresco.

Uma sensação global

(Fonte: Wikipedia/Reprodução)(Fonte: Wikipedia/Reprodução)

Em 1960, Ando passou a considerar o mercado americano quando houve uma diminuição das vendas devido à saturação do mercado japonês. Naquela época, os Estados Unidos exaltavam o exotismo da comida japonesa, que ia contra o paladar saturado dos cidadãos americanos em geral. E, como eles estavam fascinados pela carne e pelos vegetais cozidos em panelas quentes, Ando apostava que seu macarrão instantâneo teria o mesmo efeito.

Ele percebeu que só faria seu produto acontecer no país se encontrasse uma maneira similar ao consumo de macarrão que viu pelas ruas dos Estados Unidos — as pessoas quebravam os pacotes, colocavam os pedaços do produto em copos e derramavam água quente, em vez de preparar em uma panela e servir em uma tigela.

Após várias tentativas, a equipe de Ando conseguiu concentrar o macarrão em uma embalagem em forma de copo de espuma de plástico em que os consumidores poderiam comer ali mesmo. O Cup Noodles incluía a mesma quantidade de ramen que os pacotes secos vendidos no Japão, porém quatro vezes mais caro por conta do preço da fabricação — e isso o fez parecer um produto luxuoso e seleto.

(Fonte: Pinterest/Reprodução)(Fonte: Pinterest/Reprodução)

Em novembro de 1973, o produto entrou no mercado americano em uma época em que os produtos japoneses eram projetados para serem diferentes dos fabricados na América, ou seja, mais fáceis de entender, pronunciar e aceitar pelos nativos. Por isso o Chikin Ramen foi substituído para Cup O’Noodles e, mais tarde, renomeado para Cup Noodles.

A força do produto ficou estampada nos 10 anos que o anúncio neon de 18 metros ficou na Times Square, em Nova York, representando o ápice do quanto crescer na América era a chave para o sucesso dos negócios.

Atualmente, o Cup Noodles representa uma mistura de tendência e nostalgia no Japão, uma referência de prosperidade da potência no pós-guerra, sendo fabricado em 80 países.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.