Seja o primeiro a compartilhar

Quem foi Waldemar Santana, o primeiro rival da família Gracie?

A história de Waldermar Santana no vale-tudo começa no início da década de 1950. Tinha apenas 22 anos quando deixou Salvador, sua cidade natal, e partiu para o Rio de Janeiro em busca de seus sonhos. Na bagagem, levava apenas muita força de vontade e um ótimo talento para a capoeira. Mas logo, ele ficaria conhecido como o primeiro inimigo da família  Gracie. 

(Fonte: Blog do Acra/Reprodução)(Fonte: Blog do Acra/Reprodução)

Santana e os Gracie

Ao chegar ao Rio, Santana foi direito à academia da família Gracie, que já era famosa por popularizar o jiu-jitsu no Brasil. O jovem capoeirista pediu para treinar, mas Hélio Gracie, fundador da academia, acabou dando-lhe um emprego em uma nova unidade que funcionaria no centro da cidade.

Além de roupeiro, Santana também limpava o local. Com o tempo, conseguiu virar aluno do mestre Hélio. Posteriormente, se tornou sparing, um lutador que desempenhava o papel de adversário nos treinos dos alunos e outros lutadores da academia.

Seu jeito próprio de se movimentar, sua garra e eficiência nas lutas lhe renderam alguns apelidos, entre eles, Leopardo Negro e Exu. Mas apesar de todo empenho, Hélio Gracie não apoiava a carreira de Waldemar como lutador.

Em 1955, um jornalista que prestava assessoria para a academia dos Gracie arranjou uma luta para Santana. Valia uma boa quantia em dinheiro e o Leopardo Negro venceu seu adversário. Os Gracie não gostaram disso e, como ele lutou sem autorização da academia, foi expulso por Hélio.

(Fonte: Portal Vale Tudo/ Reprodução)(Fonte: Portal Vale Tudo/ Reprodução)

Mestre vs. aluno

Carlos Renato, o jornalista que arrumou a primeira luta para Waldermar o ajudou a encontrar um novo local para treinar. Como não era mais assessor da Academia Gracie, Renato tentava levar adiante uma luta entre Hélio Gracie, popular por aceitar disputas, e seu antigo discípulo, o Leopardo Negro.

Hélio Gracie poderia argumentar contra, especialmente por ser mais velho que Santana, mas gostava de se gabar das vitórias sobre grandes lutadores do Brasil e do exterior. Além disso, parecia ter certeza que venceria rápido, afinal, era mais experiente. 

Gracie impôs algumas exigências para que a luta ocorresse: a entrada seria gratuita, ambos lutariam de quimono, não haveria intervalos ou rounds e o duelo seria disputado num Vale-Tudo sem tempo para acabar.

A luta entre Hélio Gracie e o Leopardo Negro durou incríveis 3 horas e 43 minutos e Waldemar Santana venceu o combate, que aconteceu no dia 24 de maio de 1955.

Waldemar lutou com Hélio e Carlson Gracie (Fonte: Acervo Pessoal/ Reprodução)Waldemar lutou com Hélio e Carlson Gracie (Fonte: Acervo Pessoal/ Reprodução)

Revanche dos Gracie

A Família Gracie queria uma revanche contra Waldermar devido à derrota de Hélio. No entanto, a repercussão da luta, classificada como "selvageria" por alguns jornais, levou à proibição do Vale-Tudo no Rio de Janeiro.

Por isso, a revanche aconteceu na forma de uma superluta de jiu-jitsu. O escolhido para lutar contra Santana foi Carlson Gracie, filho de Carlos Gracie e sobrinho de Hélio. Cerca de 30 mil pessoas assistiram ao evento no Ginásio do Maracanãzinho. Mas após 10 rounds, a luta acabou sem um vencedor.

Carlson só venceria Waldemar em 1956. Novamente, a luta foi no Maracanãzinho diante de um público de 40 mil pessoas.

Garoto propaganda

Waldermar Santana era muito respeitado como lutador. Carismático e comunicativo, soube usar suas origens baianas para divulgar as artes marciais no Brasil. Teve um papel fundamental na popularização dos esportes de combate e ajudou a transformar o vale-tudo em uma febre nacional. Sua rivalidade com os Gracie se limitava apenas aos ringues, pois fora deles nutria um grande respeito pela família que desenvolveu o jiu-jitsu brasileiro.

Santana morreu com 54 anos, em 1984, em decorrência das complicações de um derrame.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.