Seja o primeiro a compartilhar

Maias: os 5 maiores enganos a respeito dessa civilização

Mesmo sem ter construído um império unificado, a Civilização Maia deixou um legado importante para as sociedades contemporâneas. Sua rica arquitetura, sua arte, seu sistema linguístico complexo e a paixão pela astronomia são características lembradas. O mesmo vale para as ferramentas de contagem criadas em seu sistema matemático evoluído para o período.

De toda maneira, como a história das civilizações pré-colombianas foram minimizadas por séculos, algumas das informações que chegam às pessoas contêm equívocos e interpretações erradas. Aprenda conosco 5 informações que na verdade são erradas sobre os Maias e fique craque em história.

1. Fake: houve um Império Maia

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

A região onde a civilização se desenvolveu aglutinava povos que falavam muitos idiomas, todos considerados línguas maias: yucatec, quiche e mopan, por exemplo. Mas diferente do que muitas pessoas creem, eles nunca chegaram a formar um império, ainda que tenham partilhado interesses, cultura e costumes.

O que historiadores podem afirmar, com certeza, é que a diversidade de características entre eles era mais preponderante. Muitas cidades-estado chegaram a possuir líderes próprios e costumes particulares, mesmo que as crenças religiosas e a paixão por astronomia dissesse respeito a todos.

2. Fake: foram sanguinários ou totalmente pacíficos

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Há muita coisa a ser descoberta sobre os povos pré-colombianos. Parte das pesquisas sofre com o fato de que as civilizações e impérios foram negligenciados por séculos, ao ponto de muito material ter sido destruído ou se perdido. Até pouco tempo, muito da antiga escrita maia não podia ser decifrada pela falta de fontes modernas.

Esses pontos ajudam a entender a falta de compreensão a respeito do perfil do povo maia. Inicialmente, a descoberta de documentos indicando que praticavam sacrifício humano fez com que apontassem os maias como um povo sangrento e impiedoso. Porém, a descoberta de novas evidências levou parte da comunidade científica a crer que eles poderiam ser pacíficos.

Mas nesse ping-pong de versões, pesquisadores publicaram estudos mostrando a descoberta de conflitos violentos em larga escala entre as cidades-estado. Em suma, a civilização era muito complexa e qualquer afirmação ainda carece de comprovação histórica, sendo impreciso apontá-los como sanguinários ou defensores da paz.

3. Fake: se chamam de maias

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Como dissemos no início desta lista, a civilização maia não fez como astecas e incas, que tiveram um império unificado. A população que vivia na região que compreende a atual Península de Iucatã, no México, além de partes da Guatemala e Honduras, se organizava em cidades-estados. Logo, não eram uma "nação", mas possuíam características semelhantes.

Desta forma, não se falava em "os maias" para se referir ao povo, tanto que o termo, quando utilizado, costuma dizer respeito à linguística, ao conjunto de aproximadamente 30 línguas usadas pela civilização. O equívoco soa complexo, o que ajuda que seja perpetuado como um fato concreto, ainda que não seja.

4. Fake: previram o fim do mundo para 2012

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Se você procurar no Google por teorias apocalípticas encontrará uma que defendia que a civilização maia teria previsto o fim do mundo. Mas não qualquer previsão furada e sim uma com data determinada: 21 de dezembro de 2012. Muita gente levou isso a sério, Hollywood fez um filme a respeito, porém o dia chegou e já passaram quase 10 anos, seguimos aqui.

Os maias possuíam diversos calendários e quando a teoria se popularizou as pessoas não levaram isso em consideração. A teoria foi baseada em um sistema de calendários diferente, cuja interpretação foi mal feita. No fim, as leituras confundiram o término de um grande ciclo astral com o fim do mundo. Sutil diferença, não é mesmo?

5. Fake: eles desapareceram

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

A ideia de que a civilização maia desapareceu é bastante equivocada e o erro tem relação com muita gente crer que tivessem sido parte de um império. Quando os espanhóis chegaram, os maias já haviam passado do auge e as doenças trazidas da Europa, junto com a escassez hídrica e as guerras, reduziram a população em até 95%, de acordo com estudos. 

Ainda assim, ao longo dos antigos territórios no México, Guatemala e Honduras, ainda é possível encontram descendentes diretos dos povos maias. Essas pessoas ainda preservam suas línguas e elementos culturais, incluindo elementos espirituais e a medicina tradicional.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.