Teriam as Leis da Física sido criadas por seres alienígenas?
251
Compartilhamentos

Teriam as Leis da Física sido criadas por seres alienígenas?

Último Vídeo

Os avanços tecnológicos dos últimos anos provam que escritores de ficção científica têm uma imaginação muito fértil, mas nem por isso suas histórias se desligam totalmente da realidade.

Arthur C. Clarke, famoso escritor do gênero, formulou três leis referentes às relações entre o homem e a tecnologia. Dentre elas, a terceira é a mais instigante, apontando que qualquer tecnologia avançada o suficiente é indistinguível de magia.

Nascemos em um mundo onde inovações tecnológicas surgem com uma frequência incrível, transformando a mudança em algo habitual. Mesmo assim, caso um smartphone atual fosse mostrado a uma pessoa comum, em 1985, o aparelho causaria surpresa, mas suposições sobre o funcionamento sempre buscariam explicação na ciência.

Agora, imagine um smartphone sendo apresentado a um legionário romano. A reação inicial não seria de naturalidade, provavelmente justificando as imagens que aparecem na pequena tela como algum tipo de magia. Isso aconteceria pelo choque, mas, se desde seu nascimento aquilo fosse algo natural, postaria fotos das formações militares em seu Instagram quando ingressasse no exército.

Já estava assim quando cheguei

Essa ideia é a base do raciocínio detalhado em um artigo, escrito pelo astrobiólogo Caleb Scharf e publicado na Nautilus. Baseado em exemplos como esse, ele propõe que alienígenas possuam um desenvolvimento tecnológico tão avançado que não poderíamos distingui-los das leis da física. “Afinal, se o cosmos possui outras formas de vida, e se parte dessa vida evoluiu além do nosso limite de complexidade e tecnologia, deveríamos considerar algumas possibilidades extremas”, acredita Scharf.

A ciência atual não possui capacidade de verificar essa hipótese, mas os argumentos de Scharf tornam a questão bem razoável. Ele diz que a vida não precisa necessariamente ser feita de átomos ou moléculas como as conhecemos, mas poderia ser criada a partir de outras estruturas com complexidade suficiente para isso. Assim, “uma civilização poderia então transcrever a si mesma e todo o seu reino físico a novas formas. Na verdade, talvez o nosso universo seja uma das novas maneiras como alguma outra civilização transcreveu seu mundo”.

Explicação do desconhecido

Da mesma forma que essas ideias podem ser apenas divagações, com uma possibilidade mínima de confirmação, elas também explicariam muitos fenômenos cósmicos que atualmente tentamos entender. Por exemplo: qual seria o motivo para a existência de matéria escura? Ela ocupa 27% do Universo observável, mas ninguém sabe muito mais do que isso, sem expectativas de uma elucidação tão cedo.

Algo tão complexo poderia ser facilmente o esconderijo desses aliens, pois qual seria a melhor maneira de se camuflar no espaço do que assumir uma forma imune à radiação eletromagnética? Outro ponto são as inconsistências detectadas por cientistas que estudam essas formações, que dentro da hipótese seriam apenas resultado de algo criado artificialmente através de métodos que nem imaginamos.

A dúvida está sempre por aí

É importante ressaltar que as suposições levantadas por Scharf são somente ideias. Mesmo que todas as agências espaciais do mundo tomem essa possibilidade como a mais provável, não existe ainda uma forma de testar sua veracidade.

Finalizando o assunto, ele diz que: “Talvez a vida altamente avançada não seja apenas externa. Talvez já esteja ao nosso redor. Ela está embutida no que percebemos como sendo a própria física, desde o comportamento das raízes de partículas e campos até os fenômenos de alta complexidade. Em outras palavras, a vida pode não estar apenas nas equações, ela pode ser as próprias equações”.

***

Você conhece a newsletter do Mega Curioso? Semanalmente, produzimos um conteúdo exclusivo para os amantes das maiores curiosidades e bizarrices deste mundão afora! Cadastre seu email e não perca mais essa forma de mantermos contato!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.