Astrônomos observam lua de Júpiter ocultar uma estrela

Astrônomos observam lua de Júpiter ocultar uma estrela

Último Vídeo

O fenômeno de ocultação é quando uma um corpo celeste passa em frente a uma estrela distante. Esse evento é capaz de oferecer informações interessantes sobre o objeto em questão, mesmo que ele já tenha sido estudado antes.

O problema — e o grande foco da questão —, no caso, é saber quando essas ocultações astronômicas acontecerão. O Satélite Gaia, pertencente ao ESA (European Space Agency) tem colhido informações sobre as estrelas para que os pesquisadores conseguissem montar um mapa mais preciso sobre a nossa galáxia. Com essas informações, foi possível criar previsões de fenômenos como a ocultação que aconteceu com uma das luas galileanas de Júpiter, a Europa.

Luas distantes

Antes tal evento só foi observado nas luas Calisto e Io que, junto com Ganimedes e Europa, são os quatro maiores satélites de Júpiter. Os dados que fenômenos importantes como esses podem oferecer são informações como a medida e formato dos corpos celestes. No caso, os astrônomos definiram com maior precisão que o equador da lua alcança 1562 quilômetros, e não os 1540 quilômetros antes informados.

Com as informações angariadas do satélite Gaia, outras previsões também foram definidas, permitindo cálculos não só das quatro grandes luas galileanas, como de outras luas menores que circundam o planeta. As próximas ocultações podem ocorrer atrás de Calisto, em 20 de junho de 2020 e 4 de maio de 2021 e novamente atrás de Europa em 22 junho de 2020.

De acordo com o Doutor Bruno Morgado, do Observatório Nacional (ON), o planeta Júpiter está em rota através do centro galáctico, que devido a grande quantidade de estrelas, gera grandes chances de que ocultações com um maior contraste de fundo, o que permite definir características tridimensionais com maior facilidade.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.