Japonês preso decorou dados de 1.300 cartões de crédito

Japonês preso decorou dados de 1.300 cartões de crédito

Último Vídeo

O funcionário de um shopping na cidade de Koto, no Japão, foi detido pela polícia por realizar compras com cartões de crédito que não pertenciam a ele. Yusuke Taniguchi, de 34 anos, disse para a polícia que memorizou o nome, número, código de segurança e data de expiração de 1.300 cartões de crédito de clientes do local onde ele trabalhava. Os dados roubados foram usados em compras online.

Fonte: ANNnewsCH/Divulgação

Como informa o Gizmodo, ainda existem controvérsias se Taniguchi possui uma memória fotográfica, que permite memorizar detalhes com precisão que dura meses, ou memória eidética, que permite riqueza de detalhes, porém dura apenas alguns minutos, tendo em vista que ele carregava um bloco de notas com todas as informações roubadas.

Antes de ser detido, Taniguchi comprou duas bolsas no valor de 270 mil ienes, cerca de R$ 10.250. A polícia informou que o ladrão de dados tinha o objetivo de levar os itens comprados até uma loja de penhores e vender, para então 1usar o dinheiro no custeio de despesas como aluguel e comida.

Rastro digital

Aparentemente a capacidade extraordinária de Taniguchi se limita à sua memória, uma vez que além de guardar um livro físico com todos os dados coletados, a polícia descobriu que ele solicitava as entregas diretamente em seu endereço pessoal, fato que levou a equipe de investigação diretamente ao autor do crime.

Com o avanço da tecnologia e das compras online, é normal que o consumidor se preocupe com a segurança de seus dados financeiros. Contudo, o caso de Taniguchi mostra que as ameaças digitais não são as únicas e o acesso físico ao número de cartões também pode ser uma brecha para pessoas com intenções perversas.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.