Telescópio Hubble capta rosto assustador no espaço

Telescópio Hubble capta rosto assustador no espaço

Último Vídeo

Como parte das comemorações de Halloween, que aconteceram no último dia 31 de outubro, a agência espacial americana (NASA) e a européia (ESA) divulgaram uma imagem captada em 19 de junho pelo telescópio Hubble. A imagem lembra um rosto com dois olhos brilhantes, mas que nada tem de sobrenatural — trata-se de uma colisão entre duas galáxias de mesmo tamanho.

O sistema catalogado como Arp-Madore 2026-424 traz um anel externo que deve durar um período "pequeno" de tempo, apenas 100 milhões de anos. "É rara a aparição de anéis no nosso universo, pois as circunstâncias para criá-los deve acontecer de uma forma muito específica", diz o comunicado oficial da ESA. Já as duas galáxias devem integrar-se uma a outra em aproximadamente 1 a 2 bilhões de anos.

ESA/Divulgação
(Fonte: ESA/Divulgação)

O rosto no espaço

Os "olhos" são os núcleos de cada uma das galáxias, já as outras partes do "rosto" são feitas de poeira das galáxias, discos de gás e anéis de estrelas azuis jovens. "Quando os astrônomos olham as profundezas do espaço, não esperam encontrar algo olhando de volta para eles", diz o comunicado da NASA sobre a imagem.

A imagem do rosto faz parte de um programa que tira fotos instantâneas de tempos em tempos, permitindo que os astrônomos acompanhem o surgimento e as interações entre galáxias desconhecidas. A ideia é compilar diversas amostras de imagens de galáxias interagindo entre si, para poder entender como elas são criadas e como acontecem as fusões — normalmente as galáxias maiores "engolem" as menores durante a fusão das duas. Analisando este material eles poderão decidir quais sistemas serão os alvos primários para observação do Telescópio Espacial James Webb que está agendado para ser lançado em 2021.

29 anos de missão

Lançado em 24 de abril de 1990, o telescópio Hubble está a 600 km de distância da superfície da Terra. Batizado em homenagem a Edwin Powell Hubble, importante astrofísico americano responsável pela descoberta de corpos celestes e determinação das distâncias entre diversas galáxias, o telescópio deve manter-se ativo até 2030 ou 2040.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.