Fenômeno da Superlua Rosa será visível hoje (07) em todo o planeta

Fenômeno da Superlua Rosa será visível hoje (07) em todo o planeta

Último Vídeo

Estará visível hoje, quarta-feira (07), o maior fenômeno anual lunar, quando o satélite natural atingirá sua maior proximidade da Terra e terá sua maior intensidade de luz, em um evento conhecido como Superlua Rosa, que ocorre em fase de Lua cheia. O acontecimento é um dos momentos mais aguardados pelos astrônomos, além de ser bastante apreciado pelos entusiastas, que podem ver a beleza e a imensidão do astro.

Para observar a Superlua, basta olhar na direção leste a partir das 18h, logo após o pôr do Sol, de preferência em locais mais altos e com o horizonte livre, sem barreiras interrompendo a vista. Na Região Sul, a expectativa é de tempo seco e sem quedas de chuvas; no restante do país, foi identificada uma queda na temperatura, com registro de chuvas amenas em pontos isolados; em maior parte das regiões, tempo úmido, mas sem precipitações. Com o céu limpo, a ocasião se torna propícia para acompanhar o evento da melhor forma possível — e ele estará visível até a quinta-feira (09).

(Fonte: Getty Images/Reprodução)(Fonte: Getty Images)

Antes de apreciar o fenômeno, lembre-se de que as restrições de isolamento físico para o novo coronavírus sugerem não deixar a residência. Dessa forma, indica-se ver o evento da varanda, da sacada ou da janela, a fim de manter a ordem de saúde pública e, ao mesmo tempo, ter uma boa visão da Superlua.

Sobre a Superlua Rosa

Conhecido como sizígia perigeu, o evento da Superlua marca o momento em que a Lua, em fase cheia, está mais próxima do planeta Terra em sua órbita elíptica. "A Superlua é um evento decorrente da coincidência de dois fatos astronômicos. O primeiro é que a Lua não gira em torno da Terra em formato de circunferência, mas em uma órbita um pouquinho achatada. Então, ela tem de estar no ponto mais próximo da Terra, que chamamos de perigeu e, ao mesmo tempo, na fase cheia", esclareceu Marcelo Schappo, doutor em Física pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em entrevista para o Jornal de Brasília.

Outro detalhe é que a Lua não apresenta a cor rosa, tendo esse nome por coincidir com a época de desabrochamento da flor Phlox subulata, marcando o início da primavera na América do Norte e colorindo de cor-de-rosa os campos por lá.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.