USP estuda máscaras com até 97% de eficácia contra o coronavírus

USP estuda máscaras com até 97% de eficácia contra o coronavírus

Último Vídeo

Um grupo de pesquisadores da USP está desenvolvendo máscaras com até 97% de eficiência em reter o novo coronavírus. O projeto (respire!, coordenado pelo Centro de Inovação da USP, produzirá 1 milhão de unidades que serão distribuídas entre 8 mil profissionais da saúde em atividade nos hospitais. 

Para tanto, o projeto conta com a ajuda de cooperativas de costureiras que serão organizadas pela empresa Tecido Social. 

Segundo o professor Paulo Artaxo, do Instituto de Física da USP e um dos responsáveis pelo projeto, foi necessário testar máscaras de diferentes materiais para medir a eficiência de cada uma na retenção de partículas nanométricas. 

Afinal, o novo coronavírus tem 120 nanômetros em média – para fins de comparação, 1 nanômetro é um bilhão de vezes menor que 1 metro. O estudo foi feito a partir de um gerador de aerossóis capaz de produzir partículas do tamanho do coronavírus, associado a um sistema eletrônico de detecção.

a  USP 

“Já existem evidências científicas de que a eficiência na retenção para partículas tão pequenas varia muito entre máscaras de uma mesma classe e entre diferentes produtos usados para confeccioná-las”, explica o professor. Isso significa que nem todas as máscaras te protegem contra o vírus.

O foco deste estudo são máscaras para hospitais, que precisam ser de TNT. No entanto, os pesquisadores também incluíram o algodão na pesquisa, a fim de mensurar a qualidade das máscaras caseiras. No final da análise, os materiais estudados apresentaram entre 60% e 97% de filtragem.

“Alguns TNTs têm eficiência de 97% na retenção de partículas, similar ao material das máscaras necessárias para equipes médicas que lidam diretamente com pacientes contaminados.”, afirma o professor da Escola Politécnica da USP e também coordenador do projeto, Vanderley John.

Como demonstrado no gráfico anterior, as máscaras caseiras feitas com algodão de camiseta, uma opção acessível e prática, apresentam uma retenção de 60%. “Produtos com este nível de eficiência podem ser bons para quem sai à rua ou vai fazer compras e teria possibilidade de ficar exposto momentaneamente ao vírus.”

USP estuda máscaras com até 97% de eficácia contra o coronavírus via TecMundo

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.