Covid-19: Brasil assina acordo para ter acesso mais rápido à vacina

Covid-19: Brasil assina acordo para ter acesso mais rápido à vacina

Último Vídeo

Segundo comunicado da Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgado na última quarta-feira (15), o Brasil manifestou oficialmente seu interesse em participar do programa de financiamento Covax Facility, "um mecanismo projetado para garantir acesso rápido, justo e equitativo às vacinas contra a covid-19 no mundo inteiro".

Além do Brasil, outros 74 países enviaram manifestações semelhantes cujo objetivo é acelerar o acesso à imunização contra a covid-19. Nesse grupo, estão as nações que irão custear as vacinas com seus recursos próprios, provenientes dos orçamentos e finanças públicas. 

A esse grupo, 90 países mais pobres se candidataram ao recebimento das vacinas, e serão apoiados pelo mecanismo chamado Covax Advanced Market Commitment (AMC) da GAVI Alliance, a aliança de vacinas mantida pela ONU por meio de doações voluntárias. 

Fonte: Gavi/ReproduçãoFonte: Gavi/Reprodução

Garantir uma distribuição igualitária

Reunidos, esses 165 países representam mais de 60% da população mundial. Fazem parte do grupo representantes de todos os continentes e mais da metade do G20, que reúne as 19 maiores economias do mundo e a União Europeia.

Conforme Seth Berkley, médico epidemiologista que preside a GAVI, "a Covax é a única solução verdadeiramente global para a pandemia da Covid-19. Mesmo para os países que conseguem garantir seus próprios acordos com os fabricantes de vacinas, esse mecanismo representa, por meio de seu portfólio de líder mundial de candidatos a vacinas, um meio de se reduzir os riscos associados a candidatos individuais que não demonstrem eficácia."

A certeza do recebimento garantido das doses da vacina visa evitar, segundo Berkley, a triste circunstância vivida por alguns países durante a pandemia de H1N1 há uma década que foram "empurrados para o final da fila".

Fonte: Gavi/ReproduçãoFonte: Gavi/Reprodução

O objetivo da Covax

O compromisso da Covax é garantir, até o final de 2021, o fornecimento de dois bilhões de doses de vacinas seguras e eficazes que tenham sido aprovadas na avaliação regulatória da OMS. 

O comunicado esclarece que "essas vacinas serão entregues igualmente a todos os países participantes, proporcionais a suas populações, inicialmente dando prioridade aos trabalhadores da área de saúde e depois expandindo para cobrir 20% da população dos países participantes."

Quanto ao andamento das pesquisas de vacinas, a OMS que existem atualmente 163 tipos de vacina contra a covid-19 sendo testados no mundo inteiro. Do total, 23 já estão realizando testes em seres humanos. Estes dados foram atualizados até o último dia 14 de julho.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.