Grilo faz o mesmo barulho há mais de 300 milhões de anos

Grilo faz o mesmo barulho há mais de 300 milhões de anos

Último Vídeo

Segundo pesquisa liderada por Hojun Song, professor do departamento de Entemologia da Texas A&M University, e publicada na revista de ciências naturais Nature Communications, os animais da ordem Orthoptera, comumente conhecidos como grilos, possuem sistemas de comunicação para acasalar, evitar predadores e se locomover há cerca de 350 milhões de anos. Estes sistemas vem se desenvolvendo ao longo do tempo.

“Analisar os antigos métodos de comunicação (dos grilos) pode nos ajudar a entender como nós, humanos, nos comunicamos”, comentou Song.

Cronologia da Evolução na Terra

(Fonte: Wiley Online Library / Reprodução)
(Fonte: Wiley Online Library / Reprodução)

Estudos apontam que os insetos surgiram na Terra há 400 milhões de anos. Eles já estavam relativamente evoluídos quando os dinossauros apareceram, 233 milhões de anos atrás, e eram muito maiores do que normalmente são hoje.

Em comparação com os insetos, o ser humano é uma espécie em sua infância. Os humanos começaram a se parecer com o que são hoje há pouco mais de 200 mil anos.

Mecanismos sonoros dos insetos

(Fonte: encikAn - Shutterstock / Reprodução)
(Fonte: encikAn – Shutterstock / Reprodução)

Cada espécie ouve e produz sons de forma única. Gafanhotos, por exemplo, “tem ouvidos no abdômen”, enquanto grilos se comunicam com as pernas e esperanças emitem sons em frequências de ultrassom!

Alguns grilos tem “dentes” microscópicos em suas asas, que são raspados para gerar o som de cricrilar que conhecemos.

Evolução da comunicação dos grilos

(Fonte: PetrP / Fotolia / Reprodução)
(Fonte: PetrP / Fotolia / Reprodução)

A análise de um fóssil de grilo datado do período Triássico (250 a 199 milhões de anos atrás) mostrou que estes mecanismos nas asas já existiam naquela época.

Hojun Song acredita que, com o surgimento de novas espécies de animais, os ambientes se tornaram cada vez mais barulhentos, o que forçou os insetos a desenvolver seus mecanismos de comunicação.

“Novos tempos, padrões e frequências sonoras foram surgindo em espécies para que se destacassem das demais e atraíssem parceiros”, diz o pesquisador.

Adaptação ao ambiente urbano

O alto nível de urbanização atualmente está influenciando a comunicação dos insetos, assim como dos humanos.

Sobre o futuro, Song acredita que “se nós compreendermos os mecanismos sonoros dos insetos (…), talvez poderemos desenvolver novas tecnologias para melhorar a acústica e a comunicação de toda a vida, das espécies Orthoptera aos humanos.”

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.