Pirâmides de energia de Visoko: fonte de cura ou apenas fraude?

Montanhas cobertas de árvores cujas encostas se encontram num cume pontiagudo se tornaram, nos últimos quinze anos, atrações turísticas e locais de peregrinação à cidade bósnia de Visoko, entre Zenica e Sarajevo. Chamadas de “pirâmides de energia”, o complexo atrai milhares de visitantes anuais.

A Colina Pljesevica, de 107 metros de altura, hoje conhecida como Pirâmide da Lua; e a Colina Visocica, com 219,5 metros, agora chamada de Pirâmide do Sol, tornaram-se dois marcos que, com uma terceira “pirâmide” nas colinas próximas, são consideradas fontes massivas de “força energética” com poder de cura e influência positiva na vida das pessoas.

Fonte: Wikimedia Commons
Fonte: Wikimedia Commons

Embora durante os últimos tempos os cientistas tenham tentando desmentir as afirmações sobre as propriedades fantásticas das montanhas, um grande número de pessoas acredita firmemente que as colinas são antigas pirâmides feitas por uma civilização com conhecimentos mágicos. Entre os crentes está um herói nacional, o tenista Novak Djokovic.

O descobridor das pirâmides

O autodenominado “descobridor das pirâmides” é o explorador Semir “Sam” Osmanagic, um homem de 60 anos que, em 2005, percebeu o potencial do lugar, comprou inúmeros terrenos na área, perfurou túneis até as colinas e construiu o polêmico parque piramidal, que recebe milhares de visitantes todos os anos.

Fonte: Wikimedia Commons
Fonte: Wikimedia Commons

Vestindo jaqueta de couro e um chapéu estilo Indiana Jones, Osmanagic declarou numa entrevista recente à AFP que, quando viu as costas de uma colina orientadas para os pontos cardeais, “era óbvio para mim que não era um morro natural, mas sim a construção de uma civilização tecnologicamente superior”.

Após inúmeras aparições na TV durante os últimos anos, Osmanagic se transformou numa espécie de celebridade nacional. Ainda que não garanta que a energia das pirâmides vá curar a todos, ele enumera casos de curas de hipertensão, diabetes e até câncer, após as pessoas visitarem o seu parque.

Reação dos cientistas

Um ano após Osmanagic anunciar a sua “descoberta” das pirâmides de energia, um grupo de arqueólogos escreveu uma declaração denunciando a publicidade dada a uma “fraude cruel contra um público desavisado, que não tem lugar no mundo da ciência genuína”.

Para entrar no parque, com direito ao acesso à rede de túneis subterrâneos, cada visitante paga um ingresso de 5 €, o equivalente a R$ 31.  

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.