100
Compartilhamentos

Farmacêutico terraplanista sabota lote de vacinas da covid-19 nos EUA

Um farmacêutico de 46 anos que atuava no estado norte-americano de Winsconsin foi preso após sabotar um lote de vacinas contra a covid-19. Steven Brandenburg aproveitou o cargo de confiança para deixar frascos propositalmente fora da refrigeração adequada, levando ao descarte do material.

Segundo o site Daily Beast, Brandenburg trabalhava no turno da noite no Aurora Medical Center, que fica na cidade de Aurora.

Steve Brandenburg.
Steve Brandenburg.

Ele aproveitou a madrugada da véspera de Natal, em 24 de dezembro de 2020, para realizar a ação. Porém, o rapaz não contava com as suspeitas dos próprios colegas, baseados em conversas anteriores em momentos de pausa.

Terraplanista e negacionista

As suspeitas caíram sobre Brandenburg graças ao seu comportamento de acreditar e disseminar teorias da conspiração. Ele acredita na terra plana, defende que o céu é “um escudo instalado pelo governo para nos impedir de ver Deus” e acha que o Juízo Final está próximo.

Além disso, ele também defendia para os próprios colegas de trabalho que a vacina contra o novo coronavírus causaria infertilidade, além de implantar um microchip nos pacientes.

A ação

Na véspera de Natal, Brandenburg aproveitou o baixo movimento e tirou da refrigeração um lote de 57 frascos da vacina da Moderna. Após três horas em temperatura ambiente, ele guardou o material para não despertar suspeitas. No dia seguinte, entretanto, ele voltou a remover as caixas, que equivalem a pouco mais de 500 doses, e não colocou elas de volta no equipamento.

Os frascos da vacina têm capacidade para até 10 doses.
Os frascos da vacina têm capacidade para até 10 doses.

Uma colega encontrou as doses no dia seguinte e reportou o incidente. O hospital foi obrigado a descartar as doses, mas algumas pessoas teriam recebido a vacina sem eficiência garantida — depois rastreadas e comunicadas sobre o que aconteceu. Uma investigação interna questionou o rapaz, que confirmou a ação sem resistência após as suspeitas de outros farmacêuticos.

O farmacêutico foi preso no dia 31 de dezembro e se declarou culpado de conscientemente estragar a efetividade das vacinas. Ele foi demitido e agora vai responder em julgamento a um processo que pode resultar em até nove meses de prisão, além de uma multa de US$ 10 mil.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.