Seja o primeiro a compartilhar

Por que as estátuas egípcias têm seus narizes quebrados?

Quando visitantes chegam às galerias de arte egípcia do Museu do Brooklyn, nos EUA, são às vezes abordados pelo próprio curador sênior de arte egípcia, clássica e do antigo Oriente Médio, Edward Bleiberg, que lhes dirige uma pergunta digna daquela feita pela Esfinge: “por que os narizes das estátuas estão quebrados?"

Fonte: Getty ImagesFonte: Getty Images

Ele próprio se surpreendeu nas primeiras vezes que se deparou com a questão. A primeira suposição é de que as peças estariam quebradas e, como o nariz é a parte mais proeminente, ficaria mais exposto. Mas, como explicar então algumas representações pictóricas bidimensionais em murais, com seus narizes igualmente eliminados?

O assunto deu margem a diversas suposições e até mesmo a uma afirmação de que os colonialistas europeus haviam destruído os narizes de propósito para apagar as raízes africanas dos antigos egípcios. Embora esta explicação tenha sido descartada, o fato é que uma investigação revelou que os narizes haviam, sim, sido deliberadamente destruídos.

Por que destruir estátuas?

Fonte: GettyImagesFonte: GettyImages

A resposta mais confiável veio da palavra de origem grega “iconoclastia” que etimologicamente significa “quebrar imagens”. Na cultura egípcia a motivação para se destruir uma estátua era a crença de que as imagens poderiam abrigar um poder sobrenatural, segundo Bleiberg.

Para os egípcios, não apenas os deuses habitavam nas imagens, mas também os humanos que tinham morrido e que, após uma longa e difícil jornada até o esperado Salão da Dupla Verdade, conseguiam demonstrar sua pureza no Julgamento da Alma e tornar-se seres divinos.

Mas por que os narizes?

Fonte: The Metropolitan Museum of Art/DivulgaçãoFonte: The Metropolitan Museum of Art/Divulgação

De acordo com Bleiberg, "à parte danificada do corpo não é mais capaz de fazer o seu trabalho". Dessa forma, as mutilações a estátuas não eram meros atos de vandalismo, mas buscavam restringir o poder, ou seja, se você quisesse evitar que as pessoas representadas fizessem oferendas aos deuses, você poderia remover o braço esquerdo, que é o utilizado para tal tarefa. 

Mas se o seu objetivo fosse cortar radicalmente qualquer comunicação entre o ser e a divindade, a melhor forma é destruir o nariz, pois sem ele o espírito-estátua para de respirar, de forma que o vândalo o estaria "matando", pois o nariz era considerado a fonte do fôlego da vida, diz Bleiberg.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.