109
Compartilhamentos

6 itens bizarros que são mais valiosos do que ouro

Ao longo da história, o ouro sempre foi um elemento muito cobiçado pela sua elegância e também já chegou a ser utilizado como moeda comercial por longos anos. Apesar da sua raridade e valor embutido, porém, essa está longe de ser a substância mais valiosa a nossa disposição.

Atualmente, o ouro tem valor de mercado de aproximadamente R$ 311 por grama. Quer saber quais outros itens bizarros superam essa marca? Pensando nisso, nós fizemos uma lista com seis exemplos de produtos vendidos no comércio por preços astronômicos que te deixarão de “queixo caído”. 

1. Fungo de lagarta

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons/Reprodução)

O fungo de lagarta é o nome dado para o fungo que cresce do solo com uma protuberância semelhante a uma lagarta. A razão para tamanha semelhança é que essa substância um dia já foi uma lagarta de fato — que foi consumida de dentro para fora pelo fungo. 

Depois desse processo, o fungo explode pela cabeça da larva e se espalha pelo chão. Os restos mortais do animal são vendidos como o “Viagra do Himalaia” por ser considerado afrodisíaco. Uma grama desse fungo chega a custar R$ 591.

2. Veneno de serpentes

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons/Reprodução)

Muitas pessoas podem enxergar o veneno de serpentes como algo apenas maléfico, mas a realidade é que ele pode ter múltiplas funções. Esses venenos também são essenciais para a produção dos antídotos e também de outros medicamentos. Ele pode ser usado como analgésico, anticoagulante e redutor de pressão arterial.

Alguns venenos são mais caros do que outros e o preço normalmente varia pelo grau de letalidade. O veneno da cobra-coral, considerado o segundo mais letal do mundo, chega a custar mais de R$ 21 mil por grama.

3. Plutônio

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons/Reprodução)

Você lembra como o plutônio era um material essencial usado no filme De Volta Para o Futuro (1985)? Esse é um metal extremamente radioativo, potencialmente letal para os seres humanos e incrível fonte de energia. Alguns isótopos desse elemento são componentes centrais para a produção de armas nucleares e para o funcionamento de reatores nucleares. 

Quem trabalha nessa indústria costuma pagar mais de R$ 21 mil para adquirir uma única grama de plutônio, fazendo com que esse metal seja 70 vezes mais valioso que o ouro.

4. Diamante vermelho

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons/Reprodução)

Quando você pensa em diamante, provavelmente a primeira versão que vem na sua cabeça é da pedra translúcida. Porém, existem mais variedades de coloração para um diamante no mundo e essas costumam ser ainda mais valiosas. 

Os diamantes vermelhos, por exemplo, são extremamente raros e considerados as joias mais raras do planeta. Por esses motivos, uma única grama de um diamante vermelho pode ser vendida por R$ 27 milhões. Muito mais caro que o ouro!

5. Frâncio

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Apesar de poder ser sintetizado, o frâncio foi o último elemento da tabela periódica descoberto na natureza. Estima-se que existam apenas cerca de 20 a 30 gramas de frâncio na crosta terrestre ao mesmo tempo. Isso ocorre pela vida desse elemento durar somente 22 minutos.

A maior versão de frâncio produzida tinha 300 mil átomos, o que ainda era muito pouco para ser visto a olho nu. Por durar muito pouco e ser tão raro, essa substância não tem uso comercial. Mesmo assim, pesquisadores estimam que uma única grama de frâncio custaria mais de R$ 5 bilhões.

6. Antimatéria

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay/Reprodução)

Apesar de soar apenas como um conceito de ficção científica, a antimatéria é algo real e conhecida pelos seres humanos desde o século XX. Essa substância tem a mesma característica que todos os elementos que conhecemos no mundo, mas com carga elétrica de sinal oposto.

Ela pode ser criada através de aceleradores de partícula, mas é eliminada ao entrar em contato com a matéria de verdade. Por esse motivo, precisa ser mantida em um campo magnético. Em 1999, a NASA anunciou que uma grama de anti-hidrogênio custa cerca de R$ 333 trilhões. Um pouco mais caro que o ouro, concorda?

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.