Seja o primeiro a compartilhar

6 mitos que existem até hoje sobre dinossauros

Mesmo extintos há cerca de 66 milhões de anos, os dinossauros continuam aparecendo na cultura popular como uma das criaturas mais relevantes. Entretanto, esse é um processo que dificulta a vida de pesquisadores, uma vez que muitas informações incorretas são difundidas e ficam presas no imaginário das pessoas.

Sendo assim, torna-se uma missão para o meio científico desmistificar alguns dados incorretos sobre os grandes répteis que um dia habitaram a Terra. Pensando nisso, nós criamos uma lista com seis informações que continuam circulando por aí até hoje, mas são incorretas. Confira!

1. Desaparecimento dos dinossauros

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Apesar de muitos dinossauros terem morrido com o impacto do asteroide que atingiu o nosso planeta no passado, alguns deles teriam sobrevivido e continuado entre nós até os dias de hoje. Ao menos foi isso que disse o paleontólogo do Museu de História Natural (NHM) de Londres, Paul Barrett, em entrevista à BBC.

Segundo o pesquisador, os pássaros que conhecemos atualmente fazem parte do mesmo grupo de criaturas ao qual os dinossauros pertenciam. Dessa forma, não só as aves seriam dinossauros vivos, como estatisticamente haveria mais espécies de dinossauros hoje do que há 66 milhões de anos.

2. Capacidade de visão do T-Rex

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Nos filmes da franquia Jurassic Park, o T-Rex é mostrado como um enorme predador com dificuldades de enxergar suas presas quando elas não se movem. No entanto, Barrett afirma que o baixo campo de visão não era uma característica comum entre os grandes predadores cretáceos.

Um estudo conduzido em 2006 indica que o Tiranossauro Rex provavelmente tinha uma capacidade visual mais desenvolvida do que qualquer outro animal que já pisou na Terra. Sendo assim, ficar parado em sua frente seria provavelmente uma ideia muito estúpida.

3. Velocidade na comparação com carros

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Apesar de estudos iniciais terem apontado que os T-Rexs conseguiriam correr em uma velocidade de até 50 quilômetros por hora, estima-se que a velocidade média do predador era de 20 a 29 km/h. Sendo assim, velocidades mais baixas eram mais confortáveis para eles, pelo menos na maior parte do tempo.

Isso indica que esses gigantes dinossauros poderiam até mesmo ser bastante velozes em curtas distâncias, mas que provavelmente isso não seria suficiente para superar um carro em movimento em uma perseguição.

4. Clonagem de dinossauros

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Quando falamos em clonagem, conseguir replicar uma criatura tão distante de nosso tempo geológico é uma tarefa muito complexa, se não impossível. Afinal, simplesmente existem muitas variáveis desconhecidas.

Mesmo se conseguíssemos avançar cientificamente ao ponto de decifrar a sequência genética dessas criaturas, isso não necessariamente resultaria em um processo bem-sucedido. Além disso, parte do DNA de dinossauros que temos hoje também contém fragmentos de bactérias, solo e fungos.

5. Inteligência dos dinossauros

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Na visão da pesquisadora Mariana Di Giacomo, restauradora do Museu Peabody de História Nacional da Universidade de Yale, os dinossauros têm variados tipos de inteligência. "Eles eram tão inteligentes quanto precisavam ser para o mundo em que viviam", descreveu.

Por exemplo, alguns tinham de ser mais sagazes para caçar durante a noite e evitar a competição com animais maiores. Dessa forma, alguns apresentavam cérebros mais desenvolvidos do que os demais, assim como melhores sentidos de audição, visão e olfato.

6. Dinossauros e solidão

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Ao longo dos séculos, os dinossauros sempre foram apontados como criaturas solitárias e que não se mantinham perto de seus filhos após o nascimento. Entretanto, estudos recentes mostram que algumas dessas criaturas jurássicas eram ótimas mães e até mesmo ótimos pais.

Para se ter ideia, a espécie Citipati recebeu o apelido de "Big Mama" (Grande Mamãe, em tradução livre) por ter sido encontrada em uma posição protetora sobre seus ovos.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.