Cobra-urutu: a brasileira com um dos venenos mais fortes do mundo

A cobra urutu-cruzeiro (Bothrops alternatus), também chamada de cruzeira, pode ser encontrada em várias regiões do Brasil — como no Centro-Oeste, no Sudeste e em estados do Sul. Esse animal é uma das serpentes mais conhecidas do nosso país, sendo que sua ampla distribuição geográfica a torna uma das principais responsáveis por acidentes envolvendo humanos.

Assim, o que chama mesmo a atenção nesse animal não é sua aparência ou seu tamanho, mas sim o poder do seu veneno. Afinal, estamos falando de uma serpente capaz de matar uma vaca de 600 kg!

(Fonte:Samuel Maria/Arquivo Pessoal/G1)(Fonte:Samuel Maria/Arquivo Pessoal/G1)

É perigosa?

As serpentes do gênero Bothrops, do qual a urutu faz parte, respondem por cerca de 90% dos acidentes com serpentes no Brasil. Isso pode ter contribuído para a má fama e popularidade de perigosa da urutu.

Mas calma, não é bem assim. Embora tenhamos registros de mortes de animais grandes, como vacas e seres humanos, devido a picadas dessa espécie, o veneno da cobra-urutu não é tão perigoso quando comparado ao de outras serpentes.

(Fonte: Samuel Maria/Arquivo Pessoal / G1)(Fonte: Samuel Maria/Arquivo Pessoal / G1)

Por ter pouco veneno ativo em relação às propriedades enzimáticas, a sua picada não tem efeitos necrosantes significativos ou causadores de hemorragia, por exemplo.

Sobre a composição do veneno de uma serpente há vários aspectos que devem ser considerados: questões sazonais, sexuais e geográficas; como se dá a mistura de polipeptídeos e enzimas é outro ponto que influencia na toxidade. Além disso, existem variações entre espécies, gêneros e famílias.

Embora a cobra-urutu não tenha um veneno tão poderoso, é melhor ter cuidado, já que há dados que apontando que a toxidade dele tende a ser semelhante em todas as regiões onde serpente se encontra.

Características da cobra-urutu

A cobra urutu-cruzeiro é uma espécie de serpente que pertence ao mesmo grupo da jararaca. Ela tem hábitos noturnos e gosta de viver em regiões úmidas e abertas. Além do Brasil, ela pode ser encontrada no Paraguai, na Argentina e no Uruguai.

O nome dela é inspirado nas formas encontradas em sua cabeça, que lembram uma cruz. Mas dependendo do lugar, também é chamada de cotiara, boicotiara ou de jararaca-rabo-de-porco.

A urutu é um animal peçonhento e muito agressivo. Por isso, é essencial que uma pessoa picada por ela seja levada ao hospital para receber o soro antiofídico o mais rápido possível. Dito isso, veja alguns fatos rápidos sobre essa serpente:

  • a média de vida da urutu-cruzeiro é de 20 anos;
  • é um animal de hábitos noturnos, sendo que já no final da tarde começa a se mostrar ativa;
  • quando se sente ameaçada fica muito agressiva, além disso seu bote é muito rápido, impossibilitando que boa parte de suas presas consiga escapar;
  • quando adulta, a urutu-cruzeiro pode atingir 1,60 metro de comprimento — embora não seja muito comprida, o peso dela torna sua locomoção um pouco restrita;
  • diferentemente de sua cabeça com desenhos em formato de cruz, seu corpo tende a apresentar formas de ferraduras;
  • a pele dessa serpente pode ter até três colorações distintas: bege, castanho-claro e castanho-escuro — entre elas, o castanho-claro é a que predomina;
  • assim como outras serpentes, a urutu-cruzeiro é carnívora, e o cardápio preferido dessa cobra envolve mamíferos, como capivaras e gambás.

Por fim, é importante destacar que a cobra-urutu tem um papel fundamental para o ecossistema onde vive. Por isso, não se deve matá-la, nem mesmo quando alguém é picado, visto que se sabe a espécie da cobra, é desnecessário fazer isso. Além disso, há outros métodos de identificação, como fotografar o animal.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.