Seja o primeiro a compartilhar

Derramamento de óleo no Golfo do México chega a mais de 4 milhões de litros e preocupa especialistas

Cerca de 4,2 milhões de litros de petróleo podem ter sido vazados no Golfo do México, na costa da Louisiana, no final de novembro, disse a Guarda Costeira dos Estados Unidos em comunicado oficial. Embora nenhum ferimento tenha sido relatado até agora, as autoridades temem que o incidente possa prejudicar a vida selvagem ameaçada na região.

As autoridades continuam trabalhando para identificar a fonte específica e a causa do derramamento. Porém, a descarga ocorreu perto de um sistema de oleodutos de propriedade da empresa Main Pass Oil Gathering (MPOG). Uma anomalia de pressão foi identificada em um de seus oleodutos entre a noite de quarta-feira (22) e a manhã de quinta-feira (23). O canal só foi ser fechado às 6h30. 

Desastre de grande proporção

O brilho do óleo foi detectado pela primeira vez perto da paróquia de Plaquemines, a sudeste de Nova Orleans, às 9h de quinta-feira, de acordo com os dados fornecidos pela Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA), dos EUA. A empresa Third Coast Midstream Pipeline relatou o vazamento 10 minutos depois.

Após o acontecido, a capitã Kelly Denning, comandante do setor da Guarda Costeira de Nova Orleans, não comentou o intervalo de duas horas e meia entre o fechamento do oleoduto e o momento em que o vazamento foi relatado. Desde então, navios têm sido enviados ao local para remover o óleo da superfície da água. Nesta segunda-feira (27), as autoridades relataram em suas redes sociais que 794 litros de água oleosa foram recuperados.

Embora os ventos tenham ajudado a evaporar e dispersar o petróleo, muitas manchas ainda são visíveis na região. As vistorias do gasoduto com veículos operados remotamente ainda não localizaram a origem específica do vazamento. Embora as autoridades ainda não saibam exatamente quanto petróleo entrou na água, os cálculos iniciais indicam que pelo menos 4,2 milhões de litros poderiam ter escapado do oleoduto.

Ameaças futuras

(Fonte: GettyImages)(Fonte: GettyImages)

De acordo com a Guarda Costeira dos EUA, não é possível afirmar com 100% de certeza o valor exato de petróleo vazado na área até que a fonte do vazamento seja encontrada. A causa do acontecido também está sob investigação. Segundo Denning, as autoridades ainda não determinaram qual operador de gasoduto é responsável pelo caso, mas tudo indica que aconteceu com a MPOG. 

O derramamento levou preocupações sobre os possíveis impactos sobre a vida selvagem na região. Em entrevista à Associated Press (AP), um oficial da Pesca e Vida Selvagem dos EUA disse que dois pelicanos oleosos foram avistados no sábado (25) na costa da Louisiana. A área também abriga uma boa quantidade de tartarugas marinhas e baleias Rice, ambas espécies ameaçadas de extinção. 

"A maior parte da costa da Louisiana é formada por zonas úmidas e pântanos, e isso normalmente é considerado muito sensível ao petróleo", disse Doug Helton, coordenador de operações de emergência da NOOA, à WWL-TV. Milhares de derramamentos de óleo, a maioria pequenos, acontecem anualmente nas águas dos Estados Unidos.

Contudo, até mesmo os menos expressivos podem causar danos. Em 2010, uma explosão na plataforma de perfuração Deepwater Horizon, no Golfo do México, matou 11 pessoas e despejou 507 milhões de litros de petróleo no oceano durante três meses, tornando-se o maior derramamento de petróleo na história. Os impactos de grandes derrames podem ser sentidos por décadas.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.