Confira alguns fatos interessantes sobre os polegares
159
Compartilhamentos

Confira alguns fatos interessantes sobre os polegares

Último Vídeo

Não pense que os polegares servem apenas para indicar que você curtiu alguma coisa, para comunicar a sua reprovação ou pedir carona. Na verdade, esses dedos são os mais importantes que temos nas mãos e, se você observá-los com mais atenção, logo vai perceber que os polegares são diferentes dos demais dedos.

A principal característica é o fato de os “dedões” serem opositores, ou seja, eles fazem oposição aos demais dedos e permitem que possamos segurar e manipular objetos com mais firmeza, destreza e precisão. Aliás, os polegares foram de vital importância para o nosso processo evolutivo, e você pode conferir mais fatos interessantes sobre eles a seguir:

1 – Anatomia

Formado por três ossos — o primeiro metacarpo, a falange proximal e a falange distal —, o polegar é controlados por meio de 9 músculos individuais que, por sua vez, são comandados por três dos principais nervos das mãos. No entanto, nenhuma dessas estruturas (músculos ou nervos) está presente nos dedos. Eles contam apenas com tendões.

Enquanto os demais dedos conseguem alcançar um ângulo de 45° — aproximadamente—, os polegares são capazes de realizar rotações de 90°, ficando perpendicularesem relação à palma das mãos.

2 – Reino animal

Ao contrário do que muita gente pensa, os humanos não são os únicos seres do reino animal dotados de polegares opositores. Várias espécies de primatas — como os chimpanzés, gorilas e lêmures — também contam com esses dedos. Contudo, o que nos torna diferentes é a nossa capacidade de dobrar o dedo mínimo e o anular sobre a palma da mão e tocar o polegar.

Os humanos são dotados de mãos mais curtas equipadas com polegares mais longos em comparação com as mãos dos primatas. Esses dedos permitem que possamos realizar dois movimentos que os nossos parentes mais próximos não conseguem, ou seja, agarrar objetos enquanto usamos o polegar para mantê-los firmes nas mãos e para que possamos direcioná-los, e pegar objetos com mais precisão, “pinçando” os polegares contra outros dedos. Veja:

3 – Importância evolutiva

Pode parecer exagero dar tanta importância a esse dedo, mas muitos animais não contam com polegares opositores — ou não têm esses dedos tão desenvolvidos — como os nossos, o que significa que eles são incapazes de manipular objetos da mesma forma como os humanos.

Foi o desenvolvimento dos polegares ao longo da nossa história evolutiva que permitiu que nossos ancestrais pudessem manusear os mais diversos instrumentos com mais facilidade e precisão. E foi justamente essa habilidade que permitiu que os humanos pudessem fazer uso do fogo, cozinhar alimentos, construir abrigos, desenhar, desenvolver a escrita...

4 – Joinha

Quando alguém mostra para você o polegar voltado para cima ou para baixo, você entende imediatamente o que a outra pessoa está tentando dizer com esses gestos, não é mesmo? Muita gente atribui esse significado aos antigos romanos, que, segundo os filmes de Hollywood nos fizeram acreditar, decidiam sobre a vida ou morte dos gladiadores com um simples sinal de seus polegares.

Contudo, de acordo com muitos historiadores, o gesto era outro. Na verdade, apenas o imperador podia decidir sobre o destino dos gladiadores e, em vez de usar um “joinha” — ou não —, ele mostrava a mão aberta ou fechada. Assim, se o imperador apresentasse a palma da mão aberta, a vida do guerreiro era poupada. No entanto, se o imperador mostrasse a mão fechada, então o gladiador era condenado à morte.

Mais curiosidades:

  • Durante as Guerras da Gália, Júlio Cesar ordenava que os polegares dos guerreiros inimigos capturados fossem amputados para que fossem incapazes de voltar a empunhar armas;
  • Sir Isaac Newton teria dito que, na ausência de qualquer outra prova, o polegar era suficiente para convencê-lo da existência de Deus;
  • Embora mostrar o polegar para cima seja um gesto compreendido em boa parte do mundo como algo positivo, em alguns países o sinal é visto como um insulto;

  • Do início do século 13 até meados do século 19, era costume entre negociantes molhar os polegares com saliva e pressioná-los uns aos outros para simbolizar que um negócio havia sido “selado”;
  • Para os russos, uma forma simples de determinar se uma pessoa está dentro de uma área afetada por uma explosão nuclear é posicionar o polegar ao lado do “cogumelo” que se forma após a detonação da bomba. Se a fumaça ultrapassar a ponta do seu dedo, péssimas notícias! — aliás, acredite nesse método maluco por sua própria conta e risco;

  • Além de permitir que possamos manipular objetos com mais destreza, um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Utah, nos EUA, revelou que, ao comprimir os dedos das mãos antes de dar um soco, também protegemos os ossos dos braços contra possíveis danos provocados pelo impacto. Desta forma, além de melhorar nossa capacidade motora, os polegares tornam as mãos mais eficientes em situações de defesa e ataque.
Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.