Louvre: 6 curiosidades sobre o museu mais famoso do mundo

Inaugurado em 10 de agosto de 1793 como novo espaço para um acervo de obras de propriedade real francesa ou confiscadas pela Igreja Católica, o Museu do Louvre já nasceu como um grande berço cultural na Europa. O que antes era um espaço para guardar uma coleção de apenas 537 pinturas, hoje recebe cerca de 10 milhões de visitantes anualmente — sendo o museu mais visitado do mundo todo.

Atualmente, são mais de 38 mil artefatos exibidos em uma área de mais de 72 mil m² bastante imponente. Pensando nisso, nós separamos seis curiosidades para você aprender um pouco mais sobre a história desse enorme pedaço da essência artística humana. Confira só!

1. Passeio infinito

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

A vida de turista pode ser bastante complicada. "Conhecer" pode ser uma palavra um pouco forte para quem planeja passar uma semana por Paris e visitar o Louvre. Isso porque se estima que seriam necessários 100 dias para que uma pessoa pudesse explorar todo o espaço artístico.

Esse é o tempo considerado caso você passasse 30 segundo analisando cada obra e logicamente sem nenhum intervalo para dormir, comer ou ir ao banheiro. Simplesmente algo humanamente impossível!

2. Lar da Mona Lisa

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

O museu mais famoso do mundo não poderia abrigar nada mais nada menos do que a obra mais famosa do mundo, certo? É por isso que o Louvre é lar permanente para a Mona Lisa, do pintor italiano Leonardo da Vinci. Por ser a obra que mais atrai visitantes para o local, ela também é protegida por uma série de barreiras.

E se um dia você decidir visitá-la, vá com as expectativas baixas. Por mais que na internet pareça diferente, o quadro pessoalmente é extremamente menor do que imaginamos.

3. Acervo francês e internacional

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Por mais que o Museu do Louvre esteja localizado em Paris, na França, ele pode ser considerado um verdadeiro patrimônio mundial. O motivo disso é porque de todas as obras exibidas no local, somente 66% foram feitas por artistas franceses. Sendo assim, quase metade do acervo é proveniente de outras partes do mundo.

Artes Islâmicas, Antiguidades Egípcias e Antiguidades Romanas e Gregas são alguns exemplos de departamentos que os turistas podem visitar.

4. Invasão na Segunda Guerra

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Durante a Segunda Guerra Mundial, os nazistas tinham o costume de saquear suas ocupações e remover obras de arte por conta própria. Porém, todo esse material roubado precisava de um lugar para ser armazenado e, logicamente, não poderia ter um espaço melhor do que o Louvre — que foi esvaziado e usado de depósito.

Em 2018, o museu chegou a criar uma exposição com uma série de pinturas que uma vez estiveram sob posse do Nazismo. 

5. Pirâmide de vidro

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Se não bastasse toda a grandiosidade do Louvre no subterrâneo, as pirâmides de vidro que servem como porta do museu são uma obra de arte por si só. Adicionado somente em 1980, o projeto é de autoria do arquiteto chinês I.M. Pei.

A pirâmide principal se tornou uma grande atração das ruas de Paris e possui 21 metros de altura. Além delas, outras três pirâmides menores fazem parte do conjunto montado no pátio da construção. 

6. Mudança de nome

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Maior do que o acervo de obras de arte do Louvre, somente o ego de Napoleão Bonaparte. Durante o seu reinado entre 1804 e 1811, o líder militar francês decidiu rebatizar o museu para Museu de Napoleão. Durante essa época, cerca de 5 mil novas pinturas foram colocadas no local, mas posteriormente foram devolvidas aos seus donos originais.

Napoleão também levou a Mona Lisa para seus aposentos particulares e pendurou a pintura pela primeira vez na história. 

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.