Horace de Vere Cole: o maior pregador de peças do século XX

Durante o início do século XX, a Inglaterra foi apavorada por um jovem embusteiro que estava sempre de olho em suas próximas vítimas. Nascido na Irlanda em 1881, Horace de Vere Cole logo estamparia seu nome na ilha britânica por conta de suas pegadinhas infames e brincadeiras que sempre se superavam, tornando-se um dos maiores pregadores de peça já vistos no planeta.

Os hábitos "trolls" de Horace começaram muito cedo, mas já em um nível que certamente marcaria um início lendário de carreira nas pegadinhas. Enquanto estudava no segundo ano do Trinity College, em Cambridge, o jovem se juntou ao seu melhor amigo na época, Adrian Stephen (irmão da escritora Virginia Woolf), para organizar uma visita do sultão Sayyid Ali bin Hamud Al-Busaid, de Zamzibar, que havia programado uma viagem oficial à Inglaterra em 1905.

Porém, os dois rapazes ludibriaram toda a universidade ao anunciar uma chegada surpresa da autoridade, e Vere Cole estaria disfarçado do sultão e seria recebido pelo prefeito de Cambridge, que realizaria um tour acompanhado pelo Trinity College. Para isso, a dupla contou com a ajuda de figurinistas, maquiagens e acessórios, tornando-se celebridades em uma brincadeira que logo se tornaria viral.

(Fonte: The Fact Site / Reprodução)(Fonte: The Fact Site / Reprodução)

Chocado por ter sido enganado, o prefeito tentou até prender Horace e Adrian após a revelação, mas a pegadinha foi tão bem recebida pelo público que o político preferiu não comprometer sua reputação.

O Embuste de Dreadnought

Em 1910, Vere Cole e seus amigos enganaram a Marinha Real Britânica ao conseguirem autorização para embarcar no HMS Dreadnought como um suposto grupo de membros da família real abissínia. O Embuste de Dreadnought, como o evento passou a ser chamado, foi considerado o magnum opus de Horace.

Ao lado de Virginia Woolf, Adrian Stephen, Guy Ridley, Anthony Buxton e o artista Duncan Grant, o pregador de peças alugou turbantes, barbas postiças e escurecedores de pele para disfarçar a si e aos seus amigos como nobres. Assim, deu-se início a uma verdadeira aula de interpretações e cortejos em latim, grego e em gritos de "Bunga! Bunga! Bunga!", algo que chamou a atenção dos agentes da marinha e resultou em uma imensa admiração.

(Fonte: Wikipedia / Reprodução)(Fonte: Wikipedia / Reprodução)

O embuste logo foi descoberto em Londres, quando Vere Cole enviou ao jornal local uma foto de seus amigos a bordo do HMS Dreadnought. Ridicularizada e desmoralizada, a Marinha Real exigiu a prisão do líder e de seus comparsas, mas as autoridades não entenderam o caso como violação de lei e liberaram todos da equipe para seguirem suas vidas.

Horace De Vere Cole certamente fez as pegadinhas de trote por telefone serem coisas de criança.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.