Seja o primeiro a compartilhar

Navio holandês à deriva ameaça afundar e derramar 400 t de óleo

Apenas uma semana após a solução do incidente com um meganavio no Canal de Suez, outra ocorrência dramática, desta vez envolvendo um cargueiro holandês, está chamando a atenção da imprensa internacional. O navio Eemslift Hendrika está flutuando à deriva, com motor quebrado e sem tripulação, em direção à costa da Noruega nesta terça-feira (6).

O navio sofreu uma forte inclinação ontem, depois que uma violenta tempestade deslocou parte de sua carga por volta do meio-dia. Após lançarem um pedido de socorro, os 12 membros da tripulação foram salvos por serviços de resgate noruegueses, oito por helicóptero e os quatro restantes sendo obrigados a se jogar no mar, com um deles ferido.

Conforme a agência Reuters, todos ficaram em segurança, mas o navio continuou flutuando e está a cerca de 70 km da costa do Mar Norte, correndo o risco de naufragar e derramar uma carga de óleo no oceano. Hans Petter Mortensholm, porta-voz da Administração Costeira da Noruega informou à emissora NRK que “o navio perdeu potência do motor principal durante a noite e está à deriva em direção a terra”.

A situação atual do navio holandês

Mortensholm afirmou à Reuters que as autoridades esperam que o vento desloque gradativamente a embarcação para um curso paralelo à costa, dando mais tempo para uma operação de salvamento. A grande preocupação, explica, é o risco de poluição pois o Hendrika leva uma carga de 350 toneladas de óleo pesado, além de 50 toneladas de diesel em seus tanques.

Contratada para efetuar o salvamento, a empresa Smit Salvage, subsidiária da empresa holandesa Boskalis, já está a caminho do local do acidente. O porta-voz da Smit, Martijn Schuttevaer, explicou à Reuters que o objetivo da empresa de salvamento é colocar no navio à deriva um cabo de reboque e levá-lo para um local mais calmo. 

Para isso, seria necessário, se as condições de segurança permitissem, que a Smit colocasse uma tripulação a bordo do navio, conectando-o a um tipo de rebocador chamado de "manuseio de âncoras", uma poderosa embarcação construída com o objetivo de mover plataformas de petróleo.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.