(Fonte da imagem: Thinkstock)

De acordo com uma notícia publicada pela Universidade de Toronto, um grupo de pesquisadores descobriu o que faz com que alguns de nós tenham o sono superagitado enquanto outros simplesmente dormem feito uma rocha.

Para isso, os cientistas monitoraram a atividade elétrica dos rostos de ratinhos de laboratório durante uma fase do sono conhecida como R.E.M., período no qual os sonhos são mais vívidos, os olhos se movem rapidamente e os músculos do corpo ficam paralisados.

R.E.M. e os distúrbios do sono

Os pesquisadores identificaram dois tipos de receptores cerebrais responsáveis pela paralisia muscular que experimentamos — ou que deveríamos experimentar — enquanto dormimos profundamente. Em algumas pessoas, esses receptores não funcionam corretamente, fazendo com que elas se movam constantemente durante o sono e sofram uma série de distúrbios.

Entretanto, a descoberta não serve apenas para que não nos sintamos tão cansados depois de uma noite agitada. Na verdade, 80% das pessoas que sofrem de alguma disfunção durante o sono acabam desenvolvendo algum tipo de doença neurodegenerativa, como o mal de Parkinson, por exemplo, além de apresentar quadros de bruxismo, narcolepsia e sonambulismo.

Fonte: Universidade de Toronto